Por paloma.savedra

Rio - Um viaduto de acesso à Linha Amarela cedeu e chegou a fechar um dos ramais da SuperVia por, pelo menos, uma hora e meia, nesta quinta-feira, à tarde. O problema aconteceu na alça da saída 4A da via expressa, na altura de Del Castilho. Uma das paredes de sustentação inclinou e a terra que apoia a pista deslizou.

Não houve feridos no incidente, e o viaduto foi fechado, sem previsão de reabertura. Segundo a Lamsa, concessionária que administra a via, até o fechamento desta edição, técnicos da empresa ainda apuravam as causas do incidente.

Afundamento de pista da Linha amarela abalou estrutura que passa por cima da linha férrea e interrompeu as viagens do ramal Belford RoxoDivulgação

O viaduto passa sobre a linha férrea do Ramal Belford Roxo, que teve a circulação suspensa no local às 14h30, logo após os técnicos observarem o dano na estrutura. Até as 16h, os trens só operaram entre as estações Belford Roxo e Mercadão de Madureira.

As partidas da Central do Brasil foram canceladas. Às 16h, a SuperVia restabeleceu a circulação da Central até Belford Roxo, mas só uma das linhas do local foi liberada para os trens. Com isso, houve atrasos e o intervalo entre as partidas ficou em 30 minutos, segundo a companhia.

Até a última atualização desta matéria, a SuperVia não tinha previsão de quando o ramal seria totalmente normalizado. Para hoje, a expectativa era de que continuem os intervalos de meia hora no ramal, com operação em uma só linha, até que a Defesa Civil e a Lamsa liberem o local.

A Secretaria Estadual de Transportes informou que determinou às empresas de ônibus reforço imediato na frota que atende às linhas ao longo do ramal Belford Roxo. Segundo o órgão, a medida vale até a normalização dos serviços no ramal.

Em nota, o secretário Carlos Roberto Osório disse que determinou ao Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) que acompanhe a implantação do plano de contingência.

O problema acontece um ano depois da tragédia que ocorreu na Linha Amarela, quando um caminhão que circulava com a caçamba levantada derrubou uma passarela da via, na altura de Pilares. O acidente ocorreu em 28 de janeiro de 2014 e deixou cinco pessoas mortas e quatro feridas.


Você pode gostar