Linha 4: Nos primeiros meses, passageiros farão transferência para Linha 1

Secretário de Transportes Carlos Osório explicou início da operação na linha, que ele garante que será entregue no prazo

Por O Dia

Rio - Durante cinco meses, os passageiros que vão utilizar a Linha 4 do Metrô vão precisar fazer transferência para a Linha 1 (General Osório-Uruguai), seguindo viagem para o trecho também compartilhado com a Linha 2 até a central do Brasil. O secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, garantiu o cumprimento do prazo de entrega da linha que vai ligar a Barra da Tijuca até Ipanema, passando pela Gávea. 

"Vamos inaugurar a Linha 4 em 1º de junho de 2016, com público fora dos horários de pico. Em 1º de julho a operação será plena, com a linha 4  Barra da Tijuca/General Osório sem a continuação para o Centro. Haverá a transferência em General Osório para aqueles que quiserem ir para o Centro e Tijuca. A partir do final de outubro e início de novembro, a Linha 4 integra de maneira plena a Linha 1. O trem sai da Barra até a Tijuca, sem necessidade de transbordo", garantiu.

Secretário de Transportes garantiu entrega da Linha 4 no prazo estabelecidoErnesto Carriço / Agência O Dia

Leia mais:

Linha 4: 'Tatuzão' chega à estação Nossa Senhora da Paz, em Ipanema

Buraco se abre perto de obra da Linha 4 do Metrô e alaga rua de Ipanema

Consórcio da Linha 4 garante que nenhum prédio corre risco em Ipanema

Osório percorreu todo o trecho já escavado entre a Estação General Osório e a futura Estação Nossa Senhora da Paz, em Ipanema. Ele avaliou como positivo o andamento das obras até o local, mesmo com o atraso de seis meses, após afundamento de solo no bairro. "Esse cronograma foi recuperado, pois nós tínhamos uma folga para absorver impactos imprevistos. Hoje, com o andamento e a chegada do tatuzão à Nossa Senhora da Paz dentro do prazo, isso nos dá muita segurança de cumprimento do cronograma. A garantia do governo com a população é que o metrô estará aberto em operação assistida em 1º de junho de 2016. Esse é o nosso cronograma e ele será cumprido", disse.

O secretário tentou despreocupar moradores da região sobre possíveis afundamentos como os ocorridos na Rua Barão da Torre, além de rachaduras em residências. "Não esperamos nenhum incidente daquele tipo. Evidente que uma obra de engenharia dessa magnitude sempre está sujeito a intercorrências, mas não imaginamos nenhuma que venha a prejudicar o cronograma de obras nem os moradores."

O tatuzão ficará parado até abril para manutenção, mas Osório revelou que o trecho seguinte será menos complicado do que o já concluído. "Passamos a etapa mais complexa, que foi o trecho de rocha e areia. O novo trecho agora é mais homogêneo, só de areia. A frente da Barra da Tijuca até a Gávea está praticamente escavada e pronta. A pior parte já passou", falou.

Últimas de _legado_O Dia 24 Horas