Frio, chuva e tempo instável no feriado do trabalhador

Depois de uma quinta-feira com muita água, tempo na cidade vai continuar ruim

Por O Dia

Rio - O feriadão do Dia do Trabalho será de tempo ruim no estado. Mas o clima chuvoso não será o único problema para quem for aproveitar estes dias para viajar. Será preciso ter muita paciência. A Rodoviária Novo Rio calcula que 233 mil passageiros vão passar pelo terminal até segunda-feira — repetindo a média dos últimos feriados. Estão programados 7.980 ônibus, incluindo 1.430 horários extras. Os destinos mais procurados são regiões dos Lagos e Serrana. Pela Ponte Rio-Niterói estão previstos 572 mil veículos até domingo.Somente hoje serão 85 mil, dez mil a mais do que em dias normais.

De acordo com a CCR Ponte, ontem e hoje, quando são esperados 88 mil e 85 mil veículos, respectivamente, serão os dias de maior movimento em direção a Niterói e Região dos Lagos. A boa notícia é que o feriadão deve atrair para o Rio de Janeiro 122.426 viajantes e registrar uma movimentação econômica extra de R$ 161,4 milhões, de acordo com projeção feita pelo Ministério do Turismo. “Os feriados são uma oportunidade para o setor gerar negócios, empregos e renda para as cidades. E também uma chance para o turista conhecer novos destinos no seu próprio país”, afirma o ministro do Turismo, Henrique Alves.

A chuva de alagou a ciclovia da Lagoa Rodrigo de Freitas%2C na altura do Corte do CantagaloJoão Laet / Agência O Dia

O setor hoteleiro está otimista. Na capital carioca, a média geral de ocupação registrada é de 68%, até o momento. Os bairros da Zona Sul lideram o ranking, com 81,83% de quartos ocupados no Leme e em Copacabana, e 79,87% em Ipanema e Leblon. Os hotéis 5 estrelas obtiveram as melhores médias, com uma taxa aproximada de 75,89%, seguidos pelos de 3 e 4 estrelas, com 68,06%. “O público nacional lidera a ocupação e representa 72% do total de visitantes. Teremos muitos paulistas circulando pela cidade nos próximos dias. Já entre os visitantes internacionais, a maioria é de americanos, chilenos e argentinos”, comentou o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ), Alfredo Lopes.

No interior, a média de ocupação, de acordo com a ABIH-RH, é de 74,38%, até o momento. As cidades de Teresópolis e Petrópolis lideram a pesquisa, com 90% de de vagas reservadas por turistas, seguidas por Mangaratiba e Angra dos Reis, com 80%. A Região dos Lagos também obteve um boa procura, com Búzios registrando 85% de ocupação.

Quem ficar no Rio deve estar atento às mudanças no metrô. O horário de funcionamento hoje é de 7h às 23h, com transferência de linha na Estação Estácio. A Operação Lei Seca terá ações intensificadas durante o feriado. Todo o efetivo, 250 agentes, foi mobilizado. Serão realizadas 53 operações até domingo.Além disso, cadeirantes vão levar mensagens preventivas sobre o perigo de misturar álcool e direção.

Na rodoviária%2C destinos principais são a Serra e a Região dos LagosBruno de Lima / Agência O Dia

Massa de ar polar fará temperatura fará temperatura cair a 17 graus

Será indispensável, neste 1º de Maio, que o carioca saia de casa acompanhado do guarda-chuva . Assim como ontem, o tempo na cidade permanece frio e chuvoso, hoje, e também durante todo o fim de semana, segundo previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Apesar da nada positiva expectativa para o começo de um feriado, a meteorologista Marlene Leal anima (um pouco) quem já havia feito planos para o sábado. Segundo ela, as condições do tempo melhoram razoavelmente durante o dia, com períodos de céu aberto. Já no domingo, o tempo volta a fechar.

“Deve chover durante a madrugada, no início da manhã e à noite”, alertou a especialista. E ainda há probabilidade de que a água continue a cair na madrugada e no início da manhã de segunda-feira, completou.

E na Serra, frio. Os termômetros na região podem marcar 10º C. Na capital, a menor temperatura será de 17º e a maior, 25º C. A queda nos termômetros e a chuva se dão pela presença de uma frente fria que chegou ao litoral da Região Sudeste, com a massa de ar frio influenciando o tempo no estado. Ontem, em Niterói, a Defesa Civil do município chegou decretar Estágio de Atenção por conta da chuva, mas nenhuma ocorrência foi registrada.

Obras em Santa Teresa viram lamaçal

Lama e mais lama. A chuva que atingiu a cidade agravou a situação do canteiro de obras que virou Santa Teresa. As reclamações daqueles que vivem no bairro se agravaram com o aguaceiro. Um dos principais pontos turísticos do bairro, o Largo dos Guimarães, ficou cheio d’água. As intervenções não acompanham um plano para a circulação dos pedestres que são forçados a caminhar na lama para se deslocar. “A vida no bairro está complicada”, diz o presidente da Associação de Moradores e Amigos de Santa Teresa, Jacques Schwarzstein.

Colaboraram Nicolás Satriano e Tiago Frederico

Últimas de _legado_O Dia 24 Horas