Por tiago.frederico

Rio - O caminho começou a ficar mais estreito na Avenida Brasil a partir deste sábado. Para construção dos pilares de sustentação do viaduto que ligará os corredores BRT Transbrasil e Transcarioca, às 5h, foi ocupado trecho da pista central, entre a Avenida Brigadeiro Trompovski, na Ilha do Governador, e a Passarela 9, em Bosucesso. A interdição é igual à que já ocorre no trecho entre Manguinhos e o Cemitério do Caju, onde há bloqueio de uma faixa, no sentido Zona Oeste, e de duas faixas, no sentido Centro.

Segundo a Prefeitura do Rio, a obra causará ainda mais impactos no trânsito da Avenida Brasil, assim como em outras importantes vias expressas e rodovias, inclusive as que ligam o Rio à Baixada Fluminense, já que as intervenções, que até o momento ocorrem principalmente no sentido Zona Oeste, atingirão também o sentido Centro. O trecho de Ramos, no sentido Zona Oeste, e as rodovias Washington Luís e Presidente Dutra devem ser os mais afetados, bem como rotas alternativas de circulação, as linhas Amarela e Vermelha.

Novamente a Prefeitura pede que o cidadão dê preferência ao transporte público de alta capacidade, como trem, barcas e metrô. Serão mantidas as faixas exclusivas para ônibus, no entanto, com apenas uma neste trecho, que funcionará como faixa reversível, sempre priorizando o sentido de maior fluxo. Desta forma, nos dias úteis, ela irá operar em direção ao Centro, das 5h às 13h, e em direção à Zona Oeste, das 14h às 22h. Aos sábados, domingos e feriados, a faixa exclusiva funcionará apenas no sentido Centro, durante todo o dia.

As mudanças no tráfego afetarão também a saída da Ilha do Governador pelo Viaduto Edno Machado. Motoristas só terão acesso à pista lateral da Avenida Brasil, sentido Centro, já que o acesso à pista central será bloqueado.

ROTAS ALTERNATIVAS

Como rotas alternativas, a Prefeitura indica a Linha Vermelha e vias internas dos bairros da Penha, Olaria e Bonsucesso, como Avenida Lobo Júnior, Rua Uranos, Avenida dos Democráticos e as ruas Teixeira de Castro e Leopoldo Bulhões. As rotas próximas às saídas da Linha Amarela poderão ser utilizadas como alternativas as usuários daquela via, em especial a Avenida Dom Helder Câmara, o corredor da Avenida Marechal Rondon e da Rua Vinte e Quatro de Maio e a Avenida Pastor Martin Luther King Junior.

A operação de tráfego inclui a instalação de sinalização específica para orientar e alertar os motoristas, além de 45 painéis de mensagens variáveis colocados em pontos considerados estratégicos. Sessenta e cinco apoiadores de tráfego contratados e equipes da CET-Rio atuarão no local. Eles estarão divididos por turnos.. Ao todo, 52 câmeras de monitoramento e 14 reboques serão utilizados na Avenida Brasil, na Linha Vermelha e nas rotas alternativas, para desobstrução das vias em caso de enguiço ou acidente.

Principais rotas alternativas para quem se desloca em direção ao CentroDivulgação
Principais rotas alternativas para quem sai do Centro em direção às zonas Norte e OesteDivulgação


Você pode gostar