Com atrasos no ramal Santa Cruz, espera por trem chega aos 30 minutos

Problema em composição deixou intervalos irregulares nos trens do ramal nesta manhã. Em Caxias, usuários estranham e reclamam das mudanças na estação Saracuruna

Por O Dia

Rio - Uma composição do ramal Santa Cruz apresentou um problema antes de partir da estação terminal, no bairro da Zona Oeste do Rio, rumo à Central do Brasil e precisou ser vistoriada por técnicos da SuperVia, por volta das 9h desta segunda-feira. Em função disso, os intervalos entre as composições estão irregulares, no sentido Central do Brasil, nesta manhã. Para Santa Cruz, a concessionária afirma que não há atrasos.

Pelo WhatsApp do DIA (98762-8248), um passageiro, que preferiu não se identificar, disse que a espera por um trem chega aos 30 minutos. "Estou na estação de Realengo aguardando um trem para a Central do Brasil. No alto falante, anunciam que em aproximadamente 30 minutos o trem passará", relatou indignado o leitor, acrescentando: "É brincadeira com os usuários. Em plena segunda-feira. E são 9h25".

O leitor criticou a manutenção dos trens e a nomenclatura utilizada pela concessionária para se referir aos atrasos na circulação. "A SuperVia contratou pessoas para criarem formas de ludibriar os usuários com termos como 'intervalos irregulares', 'aproximadamente', etc, para que ao recebermos estas mensagens não fiquemos tão revoltados ou irritados, porque pagar esse preço de passagem e ter um serviço desses", criticou. Ainda segundo ele, os atrasos no ramal têm sido constantes, bem como os problemas de manutenção.

"Isso tem acontecido sempre às segundas-feiras, o que me leva a crer que no final de semana não existe uma vistoria ou revisão nas redes e nas composições de todos os ramais". Por telefone, a SuperVia disse que as composições sempre passam por manutenção nos fins de semana. A concessionária também não soube dizer quanto era o tempo de espera por um trem nas estações do ramal Santa Cruz.

Passageiros são surpreendidos com mudanças em Saracuruna

Passageiro encontra fechado o acesso pelo mezanino%2C na estação Saracuruna. A partir desta segunda%2C usuários acessam estação por entrada construída na Avenida Nelsom MauroLeitor Douglas Mendonça

Passageiros estranharam e reclamaram da nova forma de acesso à estação Saracuruna, em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, que começou a valer nesta segunda-feira. Antes, os usuários tinham que subir uma passarela e passar pela bilheteria que ficava em um mezanino, mas, a partir de hoje, o acesso à estação ocorre por meio de uma entrada construída no nível da Avenida Nelson Mauro, lado do bairro com maior demanda de passageiros.

Morador do bairro, o usuário Douglas Mendonça não gostou da mudança. Ele reclama do local onde está instalado o bicicletário, que fica do outro lado da estação, na Rua Carlos Maia. "Muitos moradores dependem do bicicletário e do trem. O acesso à estação é do lado que não tem bicicletário", reclamou. A SuperVia disse que, com o novo acesso, há mais bilheterias na estação, diminuindo as filas no local.

Últimas de _legado_O Dia 24 Horas