Por nicolas.satriano

Rio - Com faixas e cartazes, moradores do bairro Caonze, em Nova Iguaçu, protestaram, na tarde desta quarta-feira, contra a falta d’água crônica na região. Os manifestantes dizem que esperam há anos por uma solução para o problema.

O reservatório JK foi construído para abastecer parte de Mesquita e o bairro de Nova Iguaçu, mas nunca funcionou. Em setembro do ano passado, a Cedae iniciou a reforma do reservatório e melhorias na rede da região, com a promessa de abastecer 130 mil habitantes dos dois municípios da Baixada. A obra, orçada em R$ 14 milhões, estava prevista para ser entregue em março, mas, seis meses depois, os moradores continuam sem

Reservatório foi feito há 20 anos mas moradores continuam sem águaErnesto Carriço / Agência O Dia

Com as obras inacabadas, é preciso batalhar por água. “É um descaso o que passamos aqui. Não temos o básico para ter uma vida digna, só queremos água. Me pergunto até quando vai isso!”, desabafou Cristiane Almeida, 38.

Segundo os moradores, o encanamento chegou a ser instalado ao longo das ruas, mas a conexão não foi feita e as torneiras permanecem sem água. Procurada, a Cedae informou que está fazendo obras de implantação de rede de abastecimento em toda a região do Caonze, mas encontra dificuldades, pois, segundo a companhia,esta é uma região que cresceu desordenadamente.

A Cedae informou ainda que as obras estão em fase de término do assentamento de tubulação e posteriormente serão feitos testes na rede. A previsão da empresa é de que, até o fim do ano, as obras estejam concluídas no bairro.

Você pode gostar