Por luis.araujo

Rio - Visando oferecer mais fluidez no tráfego da Ponte Rio-Niterói, a Ecoponte informa na sua revista mensal para os usuários da rodovia, que obras estão previstas para o ano de 2016. Até o fim de maio, três cabines serão construídas, sendo duas mistas (cobranças manual e automática) e uma flex (para passagem de carros e motocicletas). No total, serão disponibilizadas 17 cabines de arrecadação. Ainda estão previstas outras intervenções para os próximos meses, beneficiando milhões de passageiros.

Em média%2C cerca de 400 mil pessoas atravessam a Ponte diariamente Divulgação Ecoponte

Segundo a Ecoponte, as obras de ampliação do pedágio serão realizadas preferencialmente em horários de menor fluxo de veículos. “O principal objetivo da concessionária é reduzir ao máximo o desconforto de motoristas e passageiros. Por isso, faremos as intervenções em horários alternativos e no contra-fluxo, priorizando o trecho fora da faixa de rolamento”, explica o gerente de Engenharia da Ecoponte, Fábio Stocco.

Na 'Revista Ecoponte', a concessionária informa que além da Praça do Pedágio outras obrigações contratuais fazem parte do cronograma de obras da empresa. Uma delas é a construção do mergulhão da Praça Renascença, que terá como prioridade as imediações e os acessos de Niterói à rodovia.

Mergulhão na chegada a Niterói deverá ficar pronto em abril de 2017Estefan Radovicz / Arquivo Agência O Dia

Em fase de licenciamentos junto à Secretaria Municipal de Urbanismo de Niterói, a obra já tem estudos, sondagens e contratações em andamento e terá início no segundo semestre deste ano. “O objetivo da passagem subterrânea é propiciar fl uidez para quem vem da Avenida Feliciano Sodré e do Centro em direção à BR-101 e à Alameda”, conta Fábio. A manutenção do mergulhão será de responsabilidade da concessionária, que realiza estudos de drenagem e iluminação.


Você pode gostar