Temporal inunda cidade e causa estragos na volta para casa

Permanece a previsão de chuva moderada a forte para a noite desta segunda-feira e ao longo desta terça-feira

Por O Dia

Rio - As nuvens escuras durante o dia todo anunciavam chuvarada a qualquer hora. No fim da tarde desta segunda-feira, um pouco mais cedo do que na semana passada quase toda, o temporal chegou com força total. Bairros ficaram sem energia elétrica, ruas alagaram no Centro, nas zonas Norte, Sul e Oeste do Rio, Região Serrana e Costa Verde.

Trabalhadores ficaram ilhados nas empresas. Quem se arriscou a enfrentar as águas voltou para o trabalho ou se refugiou em bares ou lojas. Grandes caçambas de lixo boiaram, batendo nos carros. Em alguns lugares, o jeito foi recorrer a barcos e pranchas de stand up paddle para passar nas ruas.

A chuva forte, associada à intensa frente fria com raios e ventanias assustou até quem já estava acostumado com os temporais. O trânsito parou. O Centro de Operações da prefeitura acionou, de forma preventiva, o Sistema de Alerta e Alarme Comunitário em duas comunidades. Por volta de 16h45, as sirenes dos morros Chapéu Mangueira e Babilônia foram disparadas.

Orientados por agentes comunitários e da Defesa Civil Municipal, moradores se dirigiram a pontos de apoio. O índice pluviométrico, que aciona os dispositivos a partir de 50 milímetros de chuva, nas duas comunidades atingiu 62,4 milímetros em uma hora. 

Galeria: Chuva inunda ruas na cidade

Os cariocas enfrentaram problemas com a forte chuva. Diversos bairros%2C principalmente nas Zonas Oeste e Norte%2C registraram fortes alagamentos e bolsões d'águaFoto%3A Carlos Monteiro / Agência O DIA

No Aeroporto Santos Dumont, pistas ficaram fechadas para pousos e decolagens entre 15h54 e a noite. Segundo a Infraero, 28 pousos e 24 decolagens foram cancelados. O Aeroporto Internacional Tom Jobim operou por instrumentos.

Após chuvas moderadas e fortes, especialmente na Zona Oeste, a cidade entrou em estágio de atenção às 12h40, quando ruas ficaram alagadas em boa parte da cidade, como Curicica, Jacarepaguá, Centro, Lapa, Tijuca, Copacabana, Botafogo e Campo Grande. Em algumas vias, como a Afonso Pena, na Tijuca, só a copa de árvores ficou de fora da água em alguns trechos. Muita gente perdeu compromissos.

Saiba mais: Dia vira noite e chuva forte atinge a cidade

Chuva invadiu algumas lojas na LapaAlexandre Brum / Agência O Dia

“Caiu um dilúvio na hora em que eu iria sair de casa (no Centro). Minha rua alagou e não foi possível colocar o pé na calçada”, lamentou o empresário Douglas Rosa, de 45 anos, que iria participar de um workshop em São Paulo. “A água transformou a Rua dos Inválidos e a Rua do Resende, na Lapa, em rios. “Esperei mais de duas horas para a água baixar. O jeito foi ficar em pé numa cadeira de um bar até conseguir ir para casa. Perdi aula na faculdade”, disse Marina Navarro, 25.

Av. Mém de Sá ficou completamento alagadaAlexandre Brum / Agência O Dia

Muitos estabelecimentos foram inundados. Pelas redes sociais, motoristas relatavam seus dramas no trânsito engarrafado. “Tudo parado em Piedade. Há uma hora no mesmo lugar”, comentou, às 19h30, um internauta pelo Twitter da Lei Seca. Relatos semelhantes foram feitos por motoristas na Avenida Augusto Severo, na Glória, na Estrada Grajaú-Jacarepaguá, na Avenida Brasil e, no Centro, na Avenida Francisco Bicalho e na Via Binário. Quem trafegava lentamente entre a Linha Amarela e a Avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, às 20h35, era informado por aplicativos que o trajeto seria completado em duas horas, aproximadamente.

Em Niterói, os engarrafamentos faziam os carros permanecerem estacionados por mais de 40 minutos no mesmo ponto, assim como em São Gonçalo..


Temporal alagou totalmente a Av. Mem de Sá%2C na LapaAlexandre Brum / Agência O Dia

?Agonia para pegar filhos na escola

Em Ipanema, árvore caiu na Rua Visconde de Pirajá, causando mais transtornos. Moradores de bairros como Água Santa ficaram sem energia. Na Tijuca, mães chegaram a se organizar para pegar crianças nas escolas. “Como moro mais perto, peguei o filho de quem morava mais distante. Não tinha jeito”, contou a moradora Gabriela Antunes.

A passagem de uma frente fria pelo litoral do Estado do Rio, conforme o Climatempo, deixará o tempo instável na capital fluminense até amanhã. A previsão para hoje é semelhante à desta segunda-feira, com o céu nublado a encoberto, com pancadas de chuva ao longo do dia e volume de chuva elevado. A temperatura deverá oscilar entre 20 graus e 32 graus, dando uma trégua no calorão que vinha fazendo.

“Nesta terça-feira, também deveremos ter condições de alagamento em praticamente todo o estado”, alertou o meteorologista do Climatempo, César Soares. Ele comentou que há possibilidade de chuva maior nas regiões Metropolitana e Serrana.

Nesta segunda-feira, o Sistema Alerta Rio informou que as áreas próximas à Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Baía de Guanabara e Zona Sul entraram em estágio de alerta para probabilidade de deslizamento de terra.

O estágio de atenção, o segundo nível em escala de três, que significa chuva moderada, deverá se estender hoje. A prefeitura reforçou plantões nas secretarias. Segundo o Alerta Rio, houve registro de chuva forte no Recreio (9 mm), Jacarepaguá/Cidade de Deus (8,6 mm), Madureira (8,4 mm), Campo Grande (10,4 mm) e Guaratiba (6,4 mm).

Últimas de _legado_O Dia 24 Horas