Por tamyres.matos

Rio - Reunião nesta quarta-feira na sede do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada (Cisbaf), em Nova Iguaçu, começou a definir a adoção do projeto Consultório na Rua, de atendimento a moradores de rua.

Representantes das cidades, que serão reponsáveis pela operação do projeto do Ministério da Saúde, contestaram o valor dos repasses por equipe, de R$ 9 mil a R$ 18 mil por mês. A avaliação é que é pouco para pagar médicos, enfermeiros, psicólogos e outros profissionais.

Você pode gostar