Por thiago.antunes

Rio - Os impactos da política de pacificação para a Região Metropolitana do Rio de Janeiro serão tema nesta segunda-feira da primeira reunião preparatória da representação do Estado do Rio de Janeiro para o Fórum Mundial de Direitos Humanos, de 10 a 13 de dezembro em Brasília.

No encontro, na sede da OAB-RJ, no Centro do Rio, o coordenador da ONG ComCausa, cuja sede é em Nova Iguaçu, Adriano Dias vai relatar impactos sofridos por cidades do entorno do Rio após a implantação de Unidades de Polícia Pacificadora na capital. Segundo ele, houve uma transferência dos negócios, e da violência, do tráfico para as cidades vizinhas.

Adriano Dias explica que não se opõe à política de pacificação do governo estadual, mas quer que ela seja estendida a todo o estado. “A pacificação não pode ser exclusividade de quem mora no Rio”, diz.

No encontro desta segunda, o coordenador da ComCausa vai propor que o direito à segurança seja discutido no Fórum Mundial como direito humano fundamental e adotado como política nacional

Você pode gostar