Cidades da Baixada oferecem opções para fugir do calor no verão

Região oferece alternativas para se refrescar, como cachoeiras, passeios em trilhas e muitas áreas verdes

Por O Dia

Rio - Quando o verão chega, as praias são a principal opção para fugir do calor. Mas para quem mora na Baixada Fluminense há outras alternativas, como banhos de cachoeira e passeios por trilhas em meio à exuberância de matas preservadas.

Em Guapimirim, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos oferece sombra e água fresca em cachoeiras, corredeiras e poços naturais do Rio Soberbo. Para os aventureiros, existem inúmeras trilhas, com vários níveis de dificuldade.

Somente nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, o parque recebeu cerca de cinco mil visitantes. “Toda a região era uma fazenda na época do império”, explica Elizabeth Bravo, coordenadora da sede do parque.

Em Guapimirim%2C visitantes desfrutam belezas naturais%2C como o Poço da Ponte Velha e a mata preservadaEstefan Radovicz / Agência O Dia

O local passou por uma fase de abandono nos anos 1980 e foi revitalizado em 1992. “Foi aberto ao público em 1998 e passou por uma reforma há três anos”, diz ela.

Hoje, o parque abriga ainda o Museu von Martius, com a pequena exposição ‘Flora Brasiliensis’, obra do botânico alemão que empresta seu nome ao museu.

A alemã Gisela Boezo, 70 anos, trouxe a sobrinha Lotte Hennek, 30, para aproveitar o dia no parque. “Aqui, sobram calma e tranquilidade, além de ser muito bem conservado”, diz Gisela.

A sobrinha faz coro: “É um bom lugar para curtir o verão”, garante Lotte.

Em Duque de Caxias, é a cachoeira da Taquara, numa Área de Proteção Ambiental, que faz sucesso nos dias de sol escaldante. “Nos primeiros meses do ano, recebemos em média mais de quatro mil pessoas”, diz André Oliveira, subsecretário de Cultura e Turismo da cidade.

No Parque Natural Municipal de Nova Iguaçu, na Serra de Madureira, o Poço do Casarão, o Poço da Natureza e a Cachoeira Véu da Noiva (com 52 metros) são a trinca imperdível. Por lá, ainda é possível percorrer trilhas, observar animais silvestres, conhecer um vulcão extinto e fazer rapel na Pedreira São José.

Com flora remanescente da Mata Atlântica, o parque faz parte da Área de Proteção Ambiental (APA) do Gericinó-Mendanha, reserva da Biosfera desde 1996.

Belas praias e quedas d’água

O ponto mais concorrido de Itaguaí no verão é o litoral de Coroa Grande, com água escura e fria. Além disso, junto à serra de mesmo nome, há duas cachoeiras: Itimirim (com salto de 50 metros) e Itinguçu, onde é possível praticar esportes radicais, como o rapel, ou apenas aproveitar os poços de água doce que se formam.

Outra opção, sugestão do diretor da Secretaria de Turismo e Eventos da cidade, Nelson Wenglarekdo, é a Ilha da Madeira, de onde se pode ir até a Ilha de Itacuruçá. Além disso, as praias Sapinhoera, Bica, Leste, Boi e Quatiquara são boas pedidas para relaxar nos dias de sol.

A cachoeira de Mazomba, no bairro de mesmo nome, tem queda de 15 metros e três saltos de águas claras. A cachoeira fica no Km 15 da Rodovia Rio-Santos, no trevo de Mazomba.

Capela é uma atração a mais

Outra pérola do Parque Nacional da Serra dos Órgãos de Guapimirim é a pequena Capela de Nossa Senhora da Conceição do Soberbo. Construída em 1713, ela é um patrimônio histórico tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) e comemora o aniversário de 300 anos no dia 7 de dezembro.

Aberta para visitas, no local são realizadas missas no segundo e no quarto sábado de cada mês, às 16h. A capela é remanescente do período colonial. “É o bem mais conservado da cidade”, diz Elizabeth.

Em 2014, o parque vai inaugurar duas novas trilhas: a suspensa — para pessoas com deficiência — e a circular, ligando duas cachoeiras.

Confira os horários de visitação e os preços

A sede Guapimirim do Parque Nacional da Serra dos Órgãos abre todos os dias, das 8h às 17h. A entrada custa R$ 12,50 para brasileiros e R$ 25 para estrangeiros. Quem for de carro, paga mais R$ 5.

Moradores de Guapimirim, de Magé, de Teresópolis e de Petrópolis pagam R$ 2,50, com comprovante de residência. A diária para o camping é de R$ 6 por pessoa. Maiores de 65 e menores até 12 anos não pagam. Informações pelo telefone 3633-1898.

Na APA de Duque de Caxias, a cachoeira da Taquara fica aberta de terça-feira a domingo, de 9h às 17h. A entrada é gratuita.

O Parque Natural Municipal de Nova Iguaçu recebe visitantes de terça-feira a domingo, de 8h às 16h. A entrada também é franca.

Últimas de _legado_O Dia na Baixada