Por thiago.antunes

Rio - A presidente Dilma Rousseff cancelou nesta sexta-feira a visita que faria amanhã a Nova Iguaçu para inaugurar a Maternidade Mariana Bulhões. Com isso, evita antecipar pressões para definir apoio nas eleições do ano que vem e a saia-justa de dividir o espaço com três candidatos a governador: o senador Lindbergh Farias (PT), o ministro da Pesca, Marcelo Crivella (PRB), e o vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Um líder petista fluminense confirmou que pesou na decisão dela a tendência de, na reunião de hoje em Brasília entre dirigentes do partido e do PMDB, o PT reafirmar o apoio à candidatura de Lindbergh.

Parceria triparte

A reinauguração da maternidade é resultado de uma pareceria entre os governos federal, estadual e municipal. Eles vão dividir o custeio da unidade, que será inicialmente de R$ 3 milhões por mês.

A conta de cada um

A maternidade, que fará até 350 partos por mês, vai receber por mês R$ 1,5 milhão do governo do estado, R$ 800 mil da Rede Cegonha, que é federal, e R$ 700 mil da prefeitura de Nova Iguaçu.

Você pode gostar