'Cidade do Amor' e do lixo

Moradores de Belford Roxo dizem que coleta regular não é feita desde o Natal. Prefeitura promete agir, municipalizando o serviço

Por O Dia

Rio - Após as datas festivas de fim de ano, as ruas de diversos bairros de Belford Roxo, conhecido como a ‘Cidade do Amor’, estão amontoadas de lixo e entulho. Pedestres dividem espaço nas calçadas com pneus, galhos de árvore e restos de móveis, além de muitas sacolas plásticas. Na Avenida Boulevard, em São Vicente, por exemplo, num raio de 100 metros, há cinco pontos com lixo amontoados, assim como na Avenida Joaquim da Costa Lima, na altura do bairro Wona.

Em Vilar Novo%2C pedestres precisam caminhar pela rua porque as calçadas estão tomadas por sacos de lixoEstefan Radovicz / Agência O Dia

A dona de casa Maria Teresa Nunes de Souza, de 82 anos, moradora da Rua São Roque, conta que a coleta só é feita três vezes por semana quando os garis recebem em dia. “Basta o salário atrasar um dia para a coleta ser feita com muita sorte apenas uma vez na semana. A sujeira tomou conta da cidade”, garante Maria Teresa.

Na mesma rua, muitos moradores atearam fogo em restos de entulhos. Já alguns improvisaram e amarraram sacos plásticos nos galhos de árvore. “Como a coleta não é feita religiosamente, os cachorros rasgam os sacos e o lixo fica espalhado na rua. O fedor acaba invadindo as casas”, disse um morador que não quis se identificar.

Ratos e Mosquitos

Na Estrada do Barro Vermelho, em Vilar Novo, a situação também é bastante crítica. Muitos moradores dizem não aguentar mais inalar odor de alimentos estragados. Segundo eles, a última coleta foi feita antes do Natal. 

“Há muito lixo despejado desde o fim de ano. A coleta só é feita com mais frequência nas ruas principais do Centro para tapar o sol com a peneira. Há muitos ratos e mosquitos por aqui. O odor é forte e somos obrigados a deixar as janelas fechadas”, reclama o frentista Márcio Couto, de 41 anos, morador da Rua Ariapó.

Campanha orientará população

A Prefeitura de Belford Roxo informou que municipalizou a coleta domiciliar de resíduos sólidos desde 2 de janeiro. Cerca de 40 caminhões irão realizar o serviço e seis motosserão usadas para fiscalizar a coleta. Foram criadas as coordenadorias de controle em Areia Branca, Bom Pastor, Lote XV, Nova Aurora e Parque São José.

Segundo o prefeito Dennis Dauttmam, o objetivo é regularizar o serviço que era terceirizado, além de reduzir o custo mensal em R$ 700 mil. “As subprefeituras vão levantar as necessidades. Uma campanha de conscientização orientará os moradores a colocar o lixo na hora e nos dias certos”, garante o prefeito.

Últimas de _legado_O Dia na Baixada