Por ramon.tadeu

Rio - O projeto 'BuZum' - miniespetáculo quem consiste em um ônibus adaptado para uma sala de teatro, com palco, bancos para a plateia - esteve em Queimados, hoje, na praça dos Eucaliptos. O objetivo foi frazer, de forma dinâmica, uma viagem cultural para os alunos da rede pública do município, além de desenvolver a responsabilidade social e disseminar informações sobre meio ambiente, segurança no trânsito e cidadania. O evento contou com 660 alunos.

Através de um teatro de boneco, a peça 'O mundo é uma bola' trouxe a história do futebol para os estudantes. A iniciativa faz parte do Programa Estrada para Cidadania, uma parceria entre a CCR e a prefeitura de Queimados, por meio da Secretaria de Educação (Semed).

De acordo com a secretária municipal de Educação, Míriam Motta, a iniciativa faz parte de um calendário com uma série de ações educativas para a Copa do Mundo. "A proposta é que a atividade fosse de encontro com o projeto 'Queimados com a Bola nos Pés e os Olhos no Mundo', que está acontecendo na rede municipal, com culminância no dia 06 de junho no espaço Joaquim de Freitas', disse a secretária.

A empresa responsável pelo projeto itinerante é patrocinada pela CCR via Lei Rouanet. De seu surgimento até hoje, ela já levou sua arte para 170 mil pessoas e só neste ano já foram 340 apresentações agendadas. Segundo a produtora local do projeto, Luana Oliveira, é uma oportunidade para cidades ou bairros afastados das capitais que não possuem tanto acesso à produtos culturais. “Gostamos muito de apresentar aqui na cidade, deu para ver o encantamento das crianças, que foram bem educadas e receptivas. A ideia de ser itinerante é justamente para oferecer acesso a regiões fora do arco metropolitano”, destaca.

Após o espetáculo, as crianças recebem um material para “brincarem” de fazer teatro de bonecos em casa, desenvolvendo a imaginação. O conteúdo da peça também é trabalhado em sala de aula com material de apoio, segundo a pedagoga Aline Cunha. “A ideia é trabalharmos de forma lúdica este conteúdo, que interessa a tantos alunos devido a exposição na mídia, mas contextualizando a proposta da Copa”, expõe Cunha.

Você pode gostar