Por ramon.tadeu

Rio - Criada nos lagos, pastos e cercados, a bicharada está toda prosa com mais dois prêmios na estante da fazenda. Desde a primeira edição da Festa do Aipim, o Festival Gastronômico de Tinguá, já são sete vitórias, para as quais contribuíram de forma decisiva as tilápias, leitões, galinhas e cordeiros que moram no pedaço de paraíso que a família Faísca e Deus, naturalmente, desenharam na verde imensidão de Tinguá.

Como se não bastassem a linda pousada de nove suítes e as caminhadas, cavalgadas, passeios de caiaque, rapel, tirolesa e cachoeira com 40 metros em queda livre — a única fora da reserva biológica —, a gastronomia brilha em cores vivas e frescas. O cultivo de produtos variados segue o delicioso projeto da autossuficiência, reforçado pela colaboração com os diversos pequenos produtores da região.

Rosana é quem dá o tom no paladar da famosa cozinhaAlziro Xavier / Divulgação

Tudo se move sob o comando de Paulo Cesar Faísca e a mulher, Rosana, cozinheira de primeira qualidade, além dos filhos do casal. Relaxe na paisagem e deixe a pinga artesanal Alcantilado, de Quissamã, abrir os trabalhos e as cortinas para o desfile de sabores de uma culinária típica do interior, rústica nos ingredientes da terra, mas criativa nas mãos da chef.

A torre de legumes com creme de aipim, filé de tilápia e maçãs flambadas ficou com o primeiro lugar na categoria prato principal do Festival Gastronômico, empanando o peixe em flocos de macarrão instantâneo triturado, passando a fruta em açúcar, manteiga e conhaque, e montando os legumes coloridos no creme de aipim, a estrela da festa anual em Tinguá.

O Restaurante Faísca abocanhou também o terceiro lugar na categoria das entradas, oferecendo um gratinado de aipim com tilápia, feito com coco ralado, leite de coco, o peixe desfiado e brócolis, e servido no ‘umbigo’ de bananeira.

A história do restaurante começou à sombra de uma árvore da fazenda, onde uma grande mesa de madeira reunia amigos e visitantes ao redor de delícias caseiras, como a galinha caipira com angu, e levou à criação da fazenda que é referência local.

Hoje, inclusive, haverá na propriedade um seminário organizado pela UFRJ sobre turismo gastronômico, em parceria com o Instituto Gastronômico (IGA) e com a possível presença de um chef internacional. Tinguá vai longe a bordo de seus melhores fogões.

FAZENDA FAÍSCA. Estrada da Janjana 84 (3191-8529). Aberto de terça-feira a domingo, das 9h às 17h. Só aceita dinheiro.

Você pode gostar