Por felipe.carvalho

Em setembro de 1999, Mesquita conquistava sua emancipação e se tornava um município independente de Nova Iguaçu. Para comemorar o aniversário de 15 anos da cidade debutante, a prefeitura prepara quatro dias de shows, de 25 a 28, no Paço Municipal, sempre a partir das 19h. Luan Santana, Só Pra Contrariar, Falamansa, Tá Na Mente e Nosso Sentimento estão entre as atrações principais.

Além desses artistas, bandas e cantores locais terão espaço na programação. Mais de 50 barraquinhas de comidas e de bebidas instaladas no Paço completam a festa dos mesquitenses.

Para o prefeito Gelsinho Guerreiro, a festa será realizada em um momento muito importante para a cidade e promete o fim do problema de falta d’água. “A prefeitura vem trabalhando incansavelmente para melhorar as condições de vida da população, com investimentos em diversas áreas e uma parceria muito importante com o governo estadual. Essa aliança possibilitará, por exemplo, a reinauguração dos reservatórios JK1 e 2, que resolverão de forma imediata o problema da falta d’água em 90% da cidade. Este é o grande presente de aniversário que o município vai receber”, comentou o prefeito.

A abertura dos shows, no dia 25 (quinta-feira), fica por conta do pagode do Nosso Sentimento e do Tá na Mente. Luan Santana sobe ao palco no dia 26 com seu sertanejo universitário. As zabumbas do Falamansa soam no sábado, dia 27. E o grupo Só Pra Contrariar encerra dia 28.

Só Pra Contrariar encerrará o eventoDivulgação

Batalhão pela emancipação começou no fim de 1950

O movimento para emancipar de Nova Iguaçu começou no fim da década de 1950, com as primeiras reuniões de lideranças comunitárias da cidade para planejar a separação. De acordo com relatos de moradores, um processo de emancipação foi enviado ao Palácio do Governo, em Niterói, naquela época, mas desapareceu sem uma resolução oficial.

Duas décadas depois, em 1987, foi feito o primeiro de três plebiscitos para que os moradores votassem contra ou a favor da separação. Os outros dois foram em 1993 e 1995.

Muitos dos moradores ficaram indiferentes à questão e, portanto, não compareceram às urnas. Sem quórum, os plebiscitos não conduziram Mesquita à emancipação, que foi parar na Justiça.
Em 1999, após uma batalha judicial que envolveu o Comitê Pró-Emancipação, a Câmara de Vereadores e a Prefeitura de Nova Iguaçu e Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pela emancipação. O projeto de lei da emancipação foi sancionado no dia 25 de setembro de 1999.

Você pode gostar