Rosângela Gomes (PR) é a federal da Baixada

Ela é a única mulher que representará a região em Brasília

Por O Dia

Rosângela diz que não pensa nisso já mas admite concorrer a prefeitaDaniel Castelo Branco

Nova Iguaçu terá pela primeira vez em sua história uma deputada federal. Com 101.190 votos, Rosângela Gomes (PRB) será também a única representante da bancada feminina da Baixada na Câmara Federal, em Brasília, já que Andreia Zito (PSDB), que tentava o quarto mandato, não conseguiu se reeleger.

Bacharel em Direito com pós-graduação em Direito Público e Políticas Públicas, Rosângela trabalhava como vendedora ambulante e com evangelização. O ingresso na política foi em 2000, quando foi eleita vereadora em sua cidade natal. Foi reeleita duas vezes e, a convite de seu partido, concorreu ao Senado em 2006, conquistando 262.132 votos.

Em 2010, foi eleita deputada estadual. Na Alerj, apresentou emendas ao orçamento indicando verbas para a reforma do Posto de Saúde Vasco Barcellos, em Nova Iguaçu, para a construção de Ciclovia em Tinguá, duas ambulâncias dois ônibus escolares e uma van para transporte de doentes em tratamento.

Na Câmara, Rosângela Gomes terá como prioridades acabar com o problema crônico da falta d’água na Baixada e trazer recursos para transformar o trem em metrô de superfície até Paracambi. “Conseguir um hospital federal para a região também é uma de minhas metas”, diz.

POSSÍVEL CANDIDATA 

Sobre uma possível candidatura ao governo de Nova Iguaçu, Rosângela Gomes despista. “Acho que ainda é cedo para isso, mas qualquer pessoa que se preocupa com sua cidade tem direito de sonhar”, afirma a deputada.
As mulheres da Baixada já foram representadas no Congresso Nacional por Almerinda de Carvalho, de São João de Meriti, seguida por Maria Lúcia, de Belford Roxo, e, por último, por Andréa Zito, de Duque de Caxias.

Japeri, Seropédica e Guapi sem ninguém

Japeri, Seropédica e Guapimirim são as cidades da Baixada que não conseguiram eleger nenhum representante para Assembleia e nem para a Câmara dos Deputados. Em Japeri, o vereador Marcos Arruda (PT do B) teve apenas 5.832 votos para deputado estadual e ficou de fora. Já o suplente de vereador Nico do Real (PMN) tentou uma vaga para federal e também não foi bem com 2.213 votos.

Em Guapimirim, Zelito Tringuelê (PDT), candidato a prefeito em 2012, tentou vaga na Alerj, mas não emplacou, com 6.980 votos. Em Seropédica, o vereador Max Goulart não se elegeu estadual com 4.662 votos. Já Luciano Rede (PT), que já foi candidato a prefeito da cidade, tentou mandato na Câmara, mas não passou dos 5.558 votos.

Últimas de _legado_O Dia na Baixada