Por marcelle.silva

O produtor de laranja Daniel Henrique Ferreira, de 42 anos, é um dos agricultores da Fazenda Normandia, em Japeri, que receberam um presente de Natal antecipado. Agora, ele e mais 20 famílias já têm um galpão para armazenar maquinários, guardar insumos e promover cursos e reuniões.

Daniel produz aipim, abóbora, banana e cheiro verde. “Com o novo espaço irei aumentar a produção”, planeja. Já o agricultor Cleusson Ferreira Vieira, de 35 anos, disse que o galpão será um ponto de referência para organizar sua produção.

Resultado da parceria entre o Instituto de Terras e Cartografia do Estado (Iterj) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), o espaço tem por objetivo aumentar a produtividade local, integrando as famílias de agricultores.

O governador Luiz Fernando Pezão que esteve presente esta semana na inauguração do galpão afirmou que o espaço vai gerar emprego e renda e incentivar o associativismo. “Temos que auxiliar os agricultores a dar vazão ao que produzem” frisou.

Espaço custou R%24 1%2C3 milhão. Tem garagem%2C almoxarifado%2C sala multiuso%2C copa e sanitários com acessibilidadeEny Miranda/ Divulgação

O galpão custou R$ 1,3 milhão. Ele tem garagem, almoxarifado, sala multiuso, escritório para a associação rural e para o Iterj, além de copa e sanitários com acessibilidade.

Queimados multará quem colar cartaz em lugares proibidos

Penalização prevista chega a R$ 384

o para a associação rural e para o Iterj, além de copa e sanitários com acessibilidade.

Quem colocar propaganda em local proibido pode ser multado em R$ 384 ou até mesmo responder por crime contra o patrimônio público, em Queimados. A medida tem a aprovação do comerciante Aílton Sias, de 38 anos. Vira e mexe ele encontra cartazes indesejáveis em sua loja de móveis. “Quando fecho tudo está limpo, mas pela manhã sempre tem uma propaganda divulgando casas de show e festas no muro ou até mesmo na fachada da loja”, diz.

Segundo o comerciante, os cartazes são colados à noite, porque não ter ninguém por perto para coibir o ato. “Essa prática de propaganda suja a cidade”, acusa.

Nesta semana, os agentes de Ordem Pública intensificaram as fiscalizações para evitar que cartazes sejam colados em espaços públicos sem a autorização dos proprietários. De acordo com o secretário de Ordem Pública, Edmílson Gomes, o objetivo é deixar a cidade mais limpa e organizada. “Vamos primeiro advertir os infratores, caso não tenhamos sucesso, vamos multá-los”, anunciou.

Gomes disse ainda que para denunciar as irregularidades deste tipo, basta comparecer a a Secretaria Municipal de Ordem Pública, na Rua Alves 68, Centro.


Você pode gostar