Hospital Dr. Moacyr Rodrigues recebe melhorias e tem capacidade ampliada

Hospital em Caxias passa a ter 100% de funcionamento

Por O Dia

Quando assumiu a prefeitura em 2013, o prefeito Alexandre Cardoso encontrou uma das principais unidades de saúde do município, o Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo, funcionando com apenas 20% de sua capacidade.

Com investimentos, a administração do município conseguiu recuperar leitos hospitalares e equipamentos, como o aparelho de raios X e o tomógrafo, e fazer a unidade trabalhar com 100% da capacidade.

Um dos setores principais do Hospital Dr. Moacyr, a Emergência aumentou em quase 100% o número de atendimentos, passando de 88 mil para 174 mil. De agosto a outubro de 2012, foram 21 mil. Um ano depois, no mesmo período, esse número dobrou. Agora, de agosto a outubro de 2014, o setor chegou a 60mil atendimentos.

A ortopedia apresentou um dos crescimentos mais surpreendentes. Em 2012, foram realizadas apenas 315 cirurgiasortopédicas.Dois anos depois, o resultado aumentou cerca de 240% e atingiu a marca de 1 mil cirurgias até outubro deste ano.

Reformada em 2013, a ala odontológica também duplicou os atendimentos prestados, passando de 1 mil, em 2012, para 2,3 mil em 2014.

Atendimento da emergência passou de 88 mil para 174 milDivulgação

Cardiologia na Baixada

Em agosto de 2013, a Prefeitura de Duque de Caxias deu outro importante passo na área de saúde ao inaugurar a Unidade CardioIntensiva (UCI) do Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo com o intuito de melhorar o atendimento aos pacientes com problemas cardiológicos.

O espaço foi instalado em uma área onde antes funcionava um depósito de material sucateado. Com 12 leitos, a UCI tem ainda a função de desafogar as salas vermelhas de atendimento. “Queremos fazer uma cardiologia forte no município, pois não temos este serviço de referência na Baixada Fluminense. Nosso desejo é que todo cidadão de Duque de Caxias tenha uma saúde digna e com qualidade”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Camillo Junqueira.

O secretário de saúde Camillo Junqueira apresenta a UCI ao prefeitoDivulgação

Unidade de Pronto Atendimento recebe cerca de 500 pacientes por dia

Com o objetivo de reduzir o número de atendimentos emergenciais do Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo, o prefeito Alexandre Cardoso fechou uma parceria com os governos estadual e federal e inaugurou, em novembro, a Unidade de Pronto Atendimento

(UPA) Parque Beira Mar no terreno ao lado da unidade de saúde

“Esta é a primeira UPA do estado que contará com serviço de hemodinâmica. Isto é resultado da parceria firmada entre os governos esrtadual e federal que vem trazendo benefícios para população de Duque de Caxias. Não adianta investirmos em CTIs, se não existir o atendimento na ponta, cuidando da pressão alta e da diabetes, por exemplo”, destaca o prefeito Alexandre Cardoso.

Com capacidade para realizar, aproximadamente, 15 mil atendimentos por mês, a UPA possui 30 leitos, odontologia, clínica geral, raios X, sala de eletrocardiograma, laboratório, entre outras especialidades. Além disso, oferece também os serviços de urgência e emergência em clínica médica e pediatria. A partir de fevereiro de 2015, começará a funcionar na unidade o setor de hemodinâmica, que atenderá pacientes com problemas cardíacos, possibilitando a realização de exames

Caxias inaugura a primeira UPA do Estado com setor de hemodinâmica. Serviço será implantado em 2015Divulgação

Exames mais perto de casa

Em agosto de 2014, um ano após a inauguração da Unidade Cardio Intensiva do Hospital Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo, a unidade ganhou o primeiro Ambulatório Avançado de Anticoagulação da Baixada Fluminense.

Convênio de cooperação técnica firmado entre a Prefeitura de Duque de Caxias, o Instituto Nacional de Cardiologia (INC) e o Consórcio Intermunicipal de Saúde da baixada Fluminense, o ambulatório agiliza e descentraliza o atendimento médico de pacientes cardiovasculares caxienses e demunicípios vizinhos. Desta forma, evita o deslocamento da população da Baixada até a Zona Sul do Rio de Janeiro, onde funciona o INC, para a realização de exames e retirada de medicamentos coagulares.

Alexandre Cardoso analisa equipamento do AmbulatórioDivulgação

Atualmente, cerca de 1,4 mil pessoas oriundas dos municípios daBaixada Fluminense se deslocam até o INC, representando 70% do atendimento do Instituto nesta área da cardiologia. “Este ambulatório não é simplesmente uma parceria, é um exemplo para o Brasil. Não é justo que pessoas gastem cerca de quatro horas (ida e volta) para se deslocarem da Baixada ao Rio de Janeiro para a realização de um atendimento. Este modelo de ambulatório Não é só para Caxias, e sim para o país. Significa a descentralização do serviço. É fundamental que a pessoa tenha os serviços fundamentais (saúde, educação e esporte) perto de casa”, disse o prefeito Alexandre Cardoso.