Por felipe.carvalho

A oito dias do desfile, a Leão de Nova Iguaçu ainda anda cercada de mistérios. Mesmo sem dar muitos detalhes da apresentação da escola — quinta a desfilar na Intendente Magalhães na segunda-feira de Carnaval —, o diretor de Carnaval, Carlin Família, afirmou que o tema sobre o papel do negro na sociedade inspirou a comunidade, que está empenhada em fazer um desfile contagiante na Avenida. A agremiação, na Série C, terá como enredo ‘Da força de Zumbi dos Palmares à resistência de Nelson Mandela'.

A influência da cultura africana na identidade do Brasil será vista no carro Brasilidade Africana, que mesclará a garra de Zumbi e a determinação de Nelson Mandela. Outra carta na manga da Leão é a comissão de frente. “Queremos mostrar os dois lados da moeda: a brava trajetória de Nelson Mandela e as lutas travadas por Zumbi dos Palmares. O tema diz muito sobre o momento que a escola está passando, com relação ao retorno da comunidade, que se tem feito muito presente”, afirma o diretor de Carnaval.

Com orgulho do enredo integrantes do Leão estão empolgados para o desfile. Samba está na ponta da língua Alexandre Vieira / Agência O Dia

Muitos mistérios ainda envolvem as outras alegorias, mas o diretor da ala de passistas, Alexandre Valter, revelou que a ala Força do Negro será formada por 20 meninas e 10 meninos. “A coreografia bruta e impactante vai surpreender o público. Podem esperar um ótimo Carnaval”, garante Alexandre.

Mas é o samba-enredo o grande orgulho para os integrantes da Vermelha, Amarela e Branca de Nova Iguaçu. De acordo com o compositor, André Júnior, 36 anos, o samba foi feito para resgatar também o amor dos integrantes e da comunidade pela agremiação. “O iguaçuano precisa bater no peito e dizer que é leonino. O samba ficou excelente e todos estão cantando o nosso refrão. Essa sim é a maior vitória, ver a comunidade retornando para sua casa. Ele vai ajudar muito a escola”, afirma o filho de Joel do Cavaco, colecionador de sambas enredos na escola.

Para a Rainha de Bateria, Luciane Soares, 24 anos, o Leão de Nova Iguaçu é parte de sua vida. “O Leão é a outra metade do meu coração. Estou na escola desde os meus 8 anos e sou Rainha desde os 13”, conta mulata, no trono há 11 anos e que já visitou diversos países como representante da folia brasileira.

Ela comenta que não é adepta a exageros na hora de se preparar para encarar a Passarela. “Eu me preparo o ano todo, mas é difícil manter uma rotina por conta da agenda. Meus treinos, além da academia, são os ensaios”, revela Luciane Soares.

Você pode gostar