Por marcelle.silva

Calça de tergal, camisa social e chapéu Panamá, Seu Jairo amarra cachos de banana verde e canas de açúcar no Fusca azul, saldo de passeio pelas estradas de terra da região até a praça, onde senta para um tira-gosto. Na mesa ao lado, iniciando as atividades, pedi à pastora Marly de Fátima: “Vamos na porção grande de bolas de aipim com carne seca”. A religião da dona não permite bebidas na geladeira, mas o bar vizinho fornece ‘ampolas’, para alívio dos passageiros da van.

O calor do verão pede bons botecos, e lembro aqui da excursão que fiz com amigos, com a primeira parada no pé da Serra do Tinguá, área rural de Nova Iguaçu, e seus simpáticos personagens. Na Baixada bucólica, começamos no incrível boteco evangélico chamado Escorpion’s.

Enquanto pessoal mastigava, Marly explicou: era roqueira quando batizou o bar, há 20 anos, antes da conversão ao Ministério do Milagre da Assembleia de Deus. Hoje, comanda cultos na vizinhança. “Fui ao primeiro Rock in Rio com roupas pretas de bandas, que comprei na Mesbla”.

A atração está desenhada na parede: bolinhos de puro aipim da região, mergulhados em carne seca desfiada, sequinha e enfeitada por anéis de cebola refogados. Se o caso for de almoço, peça porções: farofa de toucinho, arroz com cenoura e um feijão daqueles com perfume da melhor comida caseira.

Os bolinhos de aipim de Tinguá têm a carne seca por fora Divulgação

A praça de Tinguá, sobre o qual se debruça a reserva ecológica, fica a 40 minutos do Centro de Nova Iguaçu, com coreto, parque infantil e a sombra de árvores. Na frente do bar da pastora está a bela caixa d’água preservada de 1944, que abasteceu por 20 anos uma maria-fumaça.

Na sequência do passeio, após a digestão na van, visitamos a casa com varanda que à noite se transforma. O Bigode pelo qual é conhecido Jorge Alves, o dono, vira Le Moustache, boteco inigualável no centro iguaçuano. De um lado mora o piano, que já recebeu violino e trombone em performances reunindo os melhores músicos da praça, como o compositor e violonista Roberto Lara. De outro, um braseiro que produz galetos bem temperados, contrafilés suculentos e um pão de alho no ponto. Entre santos, anjos e pinturas, grande máscara reproduz na parede o rosto do anfitrião, cigarro no canto da boca. Na TV, no YouTube, Elis Regina arrebentava: “Alô, alô, Marciano…”. O Bar do Bigode é de outro mundo.

Escorpion’s Bar. Praça de Tinguá 202, Nova Iguaçu (2668-9578). De segunda a quinta-feira, das 9h às 21h, sextas e sábados até a meia-noite. Só aceita dinheiro.

Bar do Bigode. Rua Capitão Sena 185, Nova Iguaçu (3743-9992). Terça-feira a domingo, das 18h às 2h. Aceita cartões de crédito.

Você pode gostar