Por marcelle.silva

Logo mais a bola vai rolar pela primeira rodada da Taça Guanabara. E já na estreia um clássico entre times da Baixada promete fortes emoções. De um lado, o Tigres do Brasil, de Duque de Caxias, que após cinco anos volta à elite; do outro, o Nova Iguaçu, que busca superar sua melhor marca na competição, o oitavo lugar do ano passado. A partida começa às 17h, no Estádio Los Lários, em Xerém.

Com folha salarial torno de R$ 300 mil, o Tigres optou por reformular o elenco que ficou em segundo lugar na Série B no ano passado. A aposta é na experiência, já que mais de 60% do time é formado por jogadores rodados. Os destaques são Paulinho Guará, de 35 anos, que jogou pelo Atlético-MG na década de 1990 e Fabiano Oliveira, de 27, campeão da Copa do Brasil em 2006 pelo Flamengo.

Já o comando técnico da equipe não mudou, e Rubens Filho segue comandando do banco de reservas. O melhor resultado da carreira do treinador foi justamente na Taça Guanabara, quando foi vice-campeão há 10 anos, pelo Americano, de Campos.

Segundo ele, a montagem do elenco teve início em agosto e a pré-temporada em dezembro. “Desde o dia 19 deste mês entramos em regime de concentração máxima para a estreia. O que era para ser feito, já fizemos na parte física, técnica e tática. Agora, é trabalhar apenas a questão psicológica”, disse o técnico.
Para fazer valer o mando de campo, a ‘Fera da Baixada’ vai para o jogo com um esquema tático 4-3-3, composto por três volantes e três atacantes. De acordo com Rubens Filho, o objetivo é alcançar 18 pontos nos sete jogos que a equipe fará dentro de casa. “Eles vão tentar jogar em cima dos nossos erros.Teremos em campo um time forte na marcação, mas ao mesmo tempo ofensivo”, prometeu o treinador.

Equipes estão em concentração máxima para o clássico. Foram dois meses de treinosEstefan Radovicz / Agência O Dia

Esperança de gols do Tigres, o atacante Paulinho Guará fará sua estreia no campeonato carioca. No ano passado, ele foi campeão alagoano pelo Coruripe. As jogadas aéreas são o ponto forte do jogador, que já sonha com a artilharia da competição. “Sabemos que será difícil, mas por que não sonhar? Mas o grande objetivo é nos mantermos na primeira divisão e, para isso, conseguir os três pontos na estreia é fundamental”, afirmou.

Já o Nova Iguaçu resolveu investir em um time mesclado, formado em sua maioria por jovens revelados nas categorias de base. Mas sem deixar de lado a pitada de experiência dos veteranos, entre eles o goleiro Henrique Gulpilhares, de 33 anos, que já jogou por times tradicionais do Rio como Olaria, América e Duque de Caxias e o meia atacante Dudu, de 34, que atuou no ano passado pelo Bonsucesso e teve passagens também pelo Cruzeiro, pelo Botafogo e pelo Vitória. A folha salarial mensal do clube é de R$ 120 mil.

Nova Iguaçu FC tem novo treinador

Outra novidade no Nova Iguaçu é no banco de reservas. Eduardo Allax, que há dois anos levou o Resende às semifinais do Carioca, é o novo técnico. Os treinamentos começaram há dois meses e nesta semana o time se concentrou em Vassouras.

Mesmo atuando fora de casa, Allax promete um time ofensivo. O esquema tático será o 4-4-2 com dois meias de ligação e dois atacantes. “Estrear fora de casa é sempre difícil. Nosso adversário investiu e montou um elenco muito forte. Esperamos um duelo complicado, mas vamos jogar com respeito e tentar sair de lá com os três pontos”, disse Allax.

O campeonato será como no ano passado. Os 16 clubes se enfrentam em turno único, em 15 rodadas. Os quatro primeiros se classificam para as semifinais. O time de melhor campanha na primeira fase conquista a Taça Guanabara e tem a vantagem do empate na fase decisiva (semifinais e final).

Já entre as equipes consideradas ‘pequenas’, a que tiver o melhor desempenho nos confrontos diretos, ou seja, sem contar os jogos contra Flamengo, Vasco, Fluminense e Botafogo será a campeã da Taça Rio. O quinto e o sexto lugar na classificação geral garantem vaga na Copa do Brasil ou no Campeonato Brasileiro da Série D.

Tigres e Nova Iguaçu já se enfrentaram duas vezes, no campeonato carioca da Série B, há sete anos. O time de Duque de Caxias ganhou os dois jogos naquela ocasião.

Prioridade maior na base

Além de serem da Baixada, Tigres e Nova Iguaçu têm outras coisas em comum: destaques para o trabalho de base e os centros de treinamento. O time de Xerém tem 225 atletas em cinco categorias, além de realizar um projeto social com 300 crianças de Duque de Caxias. A estrutura é de impressionar até clubes grandes do Rio, com sete campos de futebol, estádio para 11 mil pessoas, alojamento, departamento médico e tribuna de imprensa.

Já a base do Nova Iguaçu é formada por 250 atletas, divididos em nove categorias. O trabalho rendeu o certificado de clube formador emitido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), uma espécie de registro dado às equipes especializadas na formação de jogadores. O Centro de Treinamento tem cinco campos de futebol, além do estádio para duas mil pessoas. A estrutura ainda conta com alojamento, centro médico e duas academias.

Ficha técnica

Tigres do Brasil

Santiago, Tiago Bastos, Marlon, Zé Carlos e Edson; Leão, Silva e Sassá; Jean Carioca, Lucas Poli e Paulinho Guará. Técnico: Rubens Filho.

Nova Iguaçu

Jefferson, Yan, Rhayne, Jorge Fellipe e Rodrigues; Paulo Henrique, Filipe, Rodrigo César e Dieguinho; Marlon e Oliveira.Técnico:Eduardo Allax.

Hoje: 17h. Local:Estádio Los Larios, Xerém. Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)


Você pode gostar