Genesis Torres: Um pouco de histótia

Brasões de Duque de Caxias e Nilópolis

Por O Dia

Após 23 anos da emancipação político-administrativa, o então prefeito de Duque de Caxias, Joaquim Tenório, assinou uma deliberação no dia 30 de dezembro de 1966 instituindo os símbolos municipais. Foi nomeada a comissão formada pelos funcionários Clóvis de Araújo Barreto (desenhista e estudioso em heráldica), Luiz Travassos e Walter Joaquim da Rocha.

"A data de 1566 refere-se ao início do desbravamento das terras e 1943 refere-se à elevação do antigo lugarejo à dignidade de cidade"Divulgação

Segundo relato do proíro Clóvis Barreto, o brasão de Duque de Caxias ficou assim formado: “O escudo português lembra a origem lusitana da nossa pátria; a coroa ducal, em toda a sua beleza, evidencia o topônimo Duque de Caxias, cujo titular é Luiz Alves de Lima e Silva, patrono do Exército Brasileiro; o trecho do imponente mecanismo da Refinaria Duque de Caxias representa, em toda sua pujança, a industrialização do município. As estrelas falam da povoação regional pela figura de Braz Cubas (direita) e a esquerda lembra o deputado Manoel Reis, que foi o mais destemido baluarte da emancipação política do antigo distrito de Iguaçu. A data de 1566 refere-se ao início do desbravamento das terras, onde hoje está o município, e 1943 refere-se à elevação do antigo lugarejo à dignidade de cidade. Os metais e esmaltes significam: ouro representa a força; prata a candura; vermelho a intrepidez; azul a serenidade; e, finalmente, o verde, a abundância”.





OS SÍMBOLOS DE NILÓPOLIS

O esplendor do município é representado pelo sol%2C por possuir a maior densidade demográfica de toda a região e as duas estrelas significam Olinda e NilópolisDivulgação

Já na vizinha Nilópolis, com a Resolução nº 2. 225, de 12 de janeiro de 1970, a Câmara de Vereadores acolheu a mensagem do prefeito João de Moraes Cardoso Júnior, a na nº 37, de 28 de Novembro de 1969, e instituiu o brasão de armas de Nilópolis com a seguinte descrição: “Escudo português, cortado por dois traços, formando três faixas. Na primeira, azul, um sol nascente de ouro e duas estrelas de prata. Na segunda, partida em dois campos, tem no primeiro um barrete frígio com top de sinople (cores verde e amarelo) ladeado por dois sabres das Armas da República, no segundo campo de goles (vermelho) um conjunto fabril, de prata. Na terceira faixa, contrachefe de sinople (verde), a silhueta do Estado do Rio de Janeiro em prata destacando um ponto de sable (preto).

Num listel de goles (vermelho) destacam-se os seguintes dizeres: 1947 – NILÓPOLIS – 1952. Encimando o conjunto, a coroa de cinco torres de prata que é a cidade”.

O sol representa o esplendor do município, por possuir a maior densidade demográfica de toda a região; as duas estrelas significam os dois distritos, Nilópolis e Olinda; o barrete frígio, símbolo republicano, responde pelo topônimo Nilópolis, evidenciando o grande estadista Nilo Peçanha; os dois sabres da República, lembram os períodos governamentais de Nilo Peçanha no Estado do Rio de Janeiro; o conjunto fabril, anseio de progresso do município, o ponto indicado no mapa estadual dá a proporção

Últimas de _legado_O Dia na Baixada