Programe-se: pagode retrô é uma viagem ao túnel do tempo

Sete grupos sobem ao palco Nelson Sargento, no Armazém do Samba, nesta quarta-feira (5)

Por O Dia

Uma viagem ao túnel do tempo com os grupos e artistas que marcaram época na década de 90. Este é o roteiro do ‘pagode retrô’, que acontece a partir das 19h, na próxima quarta-feira no Armazém do Samba, em Nova Iguaçu. Sete grupos se revezarão no palco que leva o nome do baluarte mangueirense Nelson Sargento. Quatro são da Baixada: 100%, Nascente, Alô Som e Pirraça. Completam a lista Os Morenos, Kiloucura e Só Preto e Sem Preconceito.

No repertório, músicas que dominaram as paradas de sucessos por duas décadas, como ‘Supera’, ‘Nossa História de Amor’, ‘Inigualável Paixão’, ‘Hoje eu vou pagodear’, ‘Fé em Deus’ e ‘Marrom Bombom’.

Grupos 100%%2C Nascente%2C Pirraça e Alô Som irão se apresentar na quartaPaulo Araújo / Agência O Dia

“Vejo um renascimento de todos os grupos. Pessoas que não eram nem nascidas, cantam nossas músicas. O que é bom, o tempo não apaga”, comemora o pandeirista e morador de Cabuçu Deco, único remanescente da primeira geração do grupo Pirraça, que tem sete discos gravados em seus 30 anos de trajetória.

Já o grupo Nascente, criado há 15 anos, gravou ontem seu segundo CD, no bar estação 40 graus, em Piedade, Zona Norte do Rio. “Novos grupos estão por aí contando suas histórias, mas a nossa chama continua acesa”, afirma Leco, morador de Nilópolis e vocalista do grupo.

De acordo com o vocalista do grupo Alô Som, Henrique Genial, morador de Nova Iguaçu, o ‘pagode retrô’ ganhou este título por relembrar canções românticas. “É uma maneira de falar de amor dentro do samba. Bate saudade”, diz.

Já o percusionista do grupo 100%, Wendoll Machado, morador de Belford Roxo, acredita que os grupos com estrada no mundo do samba tiveram que se reinventar para se manter em envidência. “Mudamos a forma de falar. Naquela época era tudo diferente. Não tinha internet, nem facebook, por exemplo”, frisou.

O Armazém do Samba fica na Avenida Tancredo Neves 4436, em Santa Eugênia. Homens e mulheres pagam R$ 20. Classificação: 18 anos.


Últimas de _legado_O Dia na Baixada