Um Pouco de História: a Vila São José e o triste fim de Tenório

Em 1964, o deputado federal foi cassado pelo Golpe Militar

Por O Dia

Tenório descansa na rede de sua casa-fortaleza%2C em CaxiasINSTITUTO HISTÓRICO/CMDC

O ano de 1958 foi trágico para Duque de Caxias, com grandes temporais caindo sobre a cidade. O rio Meriti, bastante assoreado, transbordava às margens da Estrada Rio-Petrópolis, vindo do Rio de Janeiro entrava em Caxias atravessando a sua característica ponte em arco. Naquele local estava uma grande extensão de terrenos baixos e já ocupados por centenas de moradores, acomodados bem no centro de uma cidade com grande crescimento demográfico. A cidade, emancipada há 15 anos, já experimentava os dramas dos bancos de areia baixadenses, terrenos bem ao nível do mar que não suportavam grandes temporais.

Quem conheceu a cidade nestes tempos sabe que depois de uma grande chuva o acesso até a antiga rodoviária era impossível. Não havia drenagem até o rio Meriti e a população ribeirinha sofria. A grande enchente de 1958 produziu centenas de desabrigados, gente que tinha perdido o teto não tinha para onde ir. O presidente Juscelino Kubitschek, sensível à questão, enviou recurso através da Legião Brasileira de Assistência (LBA) para construção de casas populares. Nascia a Vila São José.

Tenório, como deputado federal, assumiu o controle para resolver o flagelo. Transferiu a população ribeirinha para um lugar que, outrora, pertencera à antiga fazenda Nossa Senhora da Conceição do Pantanal localizada em um outeiro bem de fronte dos baixios que margeavam o rio Sarapuí distante do Meriti aproximadamente 6 km. Uma região já chamada de Pantanal não era o local ideal, longe do centro. Mas ali poderia muito bem exercer o controle daquela gente, bem ao seu estilo coronelista de fazer política. Assim, os lotes foram catalogados e distribuídos. Não houve planejamento urbano: nasceu a Vila sem infraestrutura de saneamento, água e luz. Apenas mal traçadas ruas, que foram tomando o contorno comum aos bairros periféricos.

O controle sobre os recursos nas mãos de Tenório deu a ele maior poder político, assumindo diante daquela gente humilde a paternidade das obras. É considerada a principal obra da carreira política de Tenório Cavalcanti ao longo de todos os seus anos de mandato.

Em 1962, elegeu-se deputado federal e em 1964 foi cassado pelo Golpe Militar. Sem mandato, respondeu processo pelos crimes cometidos, mas o ‘homem da capa preta’ escapou das condenações em razão da prescrição das transgressões. Cassado, passou a morar na Vila São José, onde patrocinou vários programas de caridade <CW-23>e de inserção social, mas amargou o ocaso político. Seu tempo já tinha acabado. Tenório morreu em 5 de maio de 1987 e entrou para a história como um personagem marcante do populismo urbano.


Últimas de _legado_O Dia na Baixada