Por paloma.savedra

Rio - A população de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, vai continuar sem a UPA do bairro Jardim Íris, fechada desde novembro, pelo menos até município e estado resolverem quem pagará os custos da unidade. O prefeito Sandro Matos (PDT) alega que não tem condições de arcar com o custo mensal de manutenção da unidade municipalizada, de R$ 1,3 milhão. O município arcava com R$ 650 mil e o restante cabia ao estado (R$ 400 mil) e ao governo federal (R$ 250 mil).

A Secretaria de Estado de Saúde garante que a unidade já poderia estar sob sua administração. Em 2012, o estado enviou ofício ao município se dispondo a assumir a administração da UPA. Matos respondeu, também por ofício, que não havia interesse na proposta.

Unidade de Jardim Iris já estava abandonada em maio%2C com objetos quebradosEstefan Radovicz / Agência O Dia

“Vou ligar hoje (segunda-feira) para o governador (Luiz Fernando) Pezão, para conversarmos sobre esse problema”, disse. “Sei que ele está passando por dificuldades por causa da crise, mas do jeito que está não posso continuar”, reclamou Sandro Matos, que mantém duas unidades com atendimento 24 horas, os Postos de Assistência Médica (PAM) de Éden e de Jardim Meriti.

Matéria publicada no DIA em maio mostrava que a UPA do Jardim Íris estava abandonada, com a placa da fachada rasgada, os vidros quebrados, janelas estilhaçadas e goteiras no interior. Na sala de espera, móveis amontoados eram usados como barricadas para dificultar o acesso pela porta, que estava arrombada. Cadeiras serviam para fechar os buracos onde antes ficavam os aparelhos de ar-condicionado e equipamentos foram roubados por bandidos da região.

A Secretaria de Estado de Saúde informou à época que os repasses para a UPA foram feitos dentro dos prazos, no valor de R$ 4 milhões, até o fechamento da unidade, e que voltariam a ser feitos assim que a unidade fosse reaberta.

Hospital do Joca reaberto

Também na Baixada, moradores de Belford Roxo voltaram a contar nesta segunda-feira com o Hospital do Joca. Fechado várias vezes para reforma, o Hospital Jorge Júlio Costa dos Santos foi reaberto pela prefeitura e ganhou um centro cirúrgico, nova ala de ortopedia e recepção.

Você pode gostar