Muito mais que o beabá em Nilópolis

Centro educacional que prioriza a educação infantil é referência na cidade desde 1955

Por O Dia

A moradora de Nilópolis Isabela Crivelari, 18 anos, sabe o quanto é importante a escolha de um colégio onde a criança e o jovem possam se desenvolver social e psicologicamente. “A educação vem de casa, mas a escola é fundamental, pois é uma extensão da família, onde a criança começa a vivenciar seus ciclos de socialização e progride da puberdade em diante. Por isso, a escola deve ser mais que um lugar onde se aprenda o beabá”, analisa.

Isabela Crivelari%3A ‘Educação vem de casa%2C mas escola é fundamental’RENATO FONSECA

Nada dura muito tempo se realmente não for bom. E a filial Nilópolis do Centro Técnico Congregacional – Cetecon (Rua Dr. Rufino Gonçalves Ferreira, 53, Centro, tel.: 2691-1285) comemorou 60 anos de existência no mês passado. A escola sempre teve vocação para formação técnica, mas hoje é mais conhecida por seus trabalhos voltados à educação infantil e ensinos fundamentais 1 e 2 e médio.

O diretor e fundador do Cetecon Nilópolis, Ary Gomes dos Santos, afirma que a filosofia de ensino do colégio é tornar os alunos cidadãos. “A educação é primordial para qualquer pessoa, responsável por nos tornar cidadãos críticos e nos ensinar valores e a importância da responsabilidade. Ela também define nossa participação na sociedade para não sermos massa de manobra. Sob essa ótica, nossa escola ensina ao aluno critérios de respeito e valorização na sociedade, para habilitá-lo ao mercado de trabalho”, define.

O Cetecon Nilópolis é umas das primeiras instituições de ensino a investir na formação profissional na Baixada Fluminense, através do curso de formação de professores desde 1966, com foco na profissionalização da população da região. Um de seus diferenciais é seu sistema de créditos, no qual o estudante se matricula por disciplinas. “O aluno não fica reprovado na série em que estuda, mas na disciplina.Pode estudar pela manhã e à noite cumprir a disciplina na qual foi reprovado”, explica o diretor.

Últimas de _legado_O Dia na Baixada