Por marcelle.abreu
Você sabia que o ar que respiramos pode ser terapêutico? Por exemplo, estudos científicos indicam que até 85% das amputações no pé de pacientes diabéticos foram precedidas por úlceras que poderiam ter sido tratadas com a oxigenoterapia hiperbárica, também conhecida como tratamento hiperbárico.
Em média, são realizadas de 15 a 40 sessões, dependendo da gravidade do caso e da resposta do organismo. Nelas o paciente fica em repouso, respirando normalmente oxigênio 100% puro em uma câmara com pressão 2,5 maior que a respirada na atmosfera, enquanto oxigênio em grande quantidade vai se dissolvendo no sangue até chegar aos locais menos oxigenados.
Publicidade
Atualmente há 130 câmaras hiperbáricas em todo o país, 16 delas apenas no estado do Rio. Na Baixada Fluminense, apenas a filial nilopolitana da Hiperbárica Hospitalar (Rua João Pessoa 1794, Centro, tel.: 3760-0895) realiza o procedimento. O tratamento especializado rendeu prêmios à clínica, como o Oscar Alvear Urrutia 2015 (da Federação Interamericana de Associações de Gestão Humana) e o Ser Humano 2014 (da Associação Brasileira de Recursos Humanos), entre outros.