Por helio.almeida
Equipamentos produzidos pela Oficina de Órtese e Prótese da Pestalozzi de Niterói podem ser adquiridos gratuitamente por moradores de diferentes cidades do estado do Rio. A instituição é credenciada pelo Ministério da Saúde para a confecção e entrega de próteses (membro superior e inferior) e órteses (calhas, coletes e palmilhas).
Criança sendo atendidaDivulgação

Também são fornecidos meios de locomoção como, cadeiras de rodas, andadores, muletas e cadeiras de banho além de calçados anatômicos. Os produtos, em sua maioria, são fabricados na própria Pestalozzi e atendem cidades da Região dos Lagos, Serrana, Metropolitana, Baixada Litorânea e Norte Fluminense. Para ter direito ao produto é necessário que o paciente tenha um encaminhamento de um médico da rede pública onde reside, atestando a necessidade da órtese ou prótese.

“Estamos iniciando no mês de junho uma campanha focada nas prefeituras destas cidades que receberão uma carta e um folder explicativo do programa. Com a mudança de governo em algumas prefeituras, notamos ser necessário levar ao conhecimento dos novos gestores este tipo de programa”, explica Lizair Guarino, presidente da Pestalozzi de Niterói lembrando que a instituição foi convidada pelo Governo Federal para integrar o Programa Viver Sem Limites, que é uma ampla campanha em todos os níveis governamentais para ampliar o direito à saúde, à educação e à cidadania da pessoa com deficiência. “Nós da Pestalozzi colaboramos em duas frentes. No setor de deficiência física e no de deficiência mental”, acrescenta Lizair Guarino, presidente da instituição, localizada no bairro de Pendotiba, zona leste de Niterói.
Publicidade
Esperamos com esta campanha junto às prefeituras, sensibilizar a administração pública sobre o programa que tem um importante alcance social, já que dá cidadania e dignidade a muita gente”, explica Ana Paula Ferreira, coordenadora da Oficina. Ela lembra que cidades, como Rio das Ostras, por exemplo, participa ativamente, enviando até a Pestalozzi os pacientes para tirar as medidas da órtese ou prótese que necessita e depois o trabalho de adaptação do paciente ao equipamento.
Em outras cidades, como Casimiro de Abreu, a Prefeitura solicitou a equipe da Pestalozzi para a realização de avaliação dos pacientes. “Esta iniciativa simples possibilitou a entrega de uma série de equipamentos, para crianças e adultos com deficiência. Estamos abertos a qualquer tipo de parceria, o importante é fazer com que os equipamentos cheguem às pessoas que necessitam deles e que podem ampliar e muito a sua qualidade de vida a partir do recebimento de uma prótese ou órtese”, acrescenta Ana Paula.
Publicidade
Moradores de São Gonçalo, Itaboraí, Tanguá, Maricá ,entre outras cidades, também são atendidos pelo programa.