Por juliana.stefanelli

Rio - "Capoeira que tem sangue na veia acorda cedo pra estudar”. Foi ao som de cantigas de capoeira como esta que 45 alunos da Vila Olímpica de Queimados, em parceria com Rio-Brasil Capoeira, realizaram a troca de corda na manhã do último domingo (25), na sede da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. A entrega de cordas é um evento no qual os capoeiristas são graduados de acordo com seus conhecimentos e com o tempo de prática.

Quem se graduou como instrutora, o 4° nível mais alto na capoeira, foi Iná Amaral – batizada com o apelido “Raiz”. “A capoeira mudou a minha vida, sou apaixonada pelo esporte e foi ele que me incentivou a seguir minha profissão, professora de Educação Física. Com a conquista de hoje, estou no caminho para me tornar mestre, como meu pai” , festejou a filha do Mestre Comprido.

Evento de entrega de cordasAgência O Dia

Antônio José de Assis, o mestre Comprido, conta como sua família inteira foi modificada pelo esporte. “Quando entrei para a capoeira, toda a minha vida foi transformada tanto em valores quanto em comportamento. Mas, por machismo meu, não queria que minhas filhas ingressassem no esporte. Depois de muita insistência da Iná, percebi como a capoeira fez bem pra dela. E aí minha caçula Beatriz, a “Semente”, também entrou pelo mesmo caminho. Por isso, oriento a todos os pais que queiram ou precisem que seus filhos tenham uma formação cidadã, que os coloquem na capoeira ou em qualquer outro esporte”, frisou.

Quem endossa a fala de mestre Comprido é o Secretário Municipal de Esporte e Lazer, Luiz Carlos Monteiro. Ele explica que o capoeirista precisa cumprir uma série de requisitos para conseguir trocar de corda: “Para subir de nível dentro da capoeira, o atleta precisa, além de aprender a prática do esporte, estar em dia com obrigações familiares e como cidadão.

É feito uma entrevista com os pais para se certificar da conduta do capoeirista em casa, ter frequência em alguma religião e fazer um curso de História e Didática da Capoeira, com uma prova avaliativa final chamada CADHISCA. Só assim troca de corda.”

Você pode gostar