Por adriano.araujo

Rio - Patrimônio arquitetônico e cultural de Petrópolis, o Palácio Hermogênio Silva, mais conhecido como Palácio Amarelo, já faz parte do inventário turístico da Cidade Imperial. Construído em 1850 e com as portas abertas à visitação desde 2009, o prédio foi totalmente restaurado em 2012. Desde sua abertura, recebeu mais de 36 mil visitantes, boa parte deles turistas estrangeiros. O espaço completa 155 anos de instalação da primeira Câmara de Petrópolis e 120 anos de aquisição da atual sede do poder legislativo.

Para comemorar, foi programada uma série de eventos, começando por uma sessão solene, onde foram entregues diplomas aos prefeitos cassados durante a ditadura militar. Um dos destaques da programação é a exposição que conta a história do parlamento petropolitano por meio de documentos e peças de época, cedidas pelo Museu Imperial. A mostra “Legislando no Paraíso” pode ser vista de domingo a domingo, das 9 às 17h, com entrada franca.

Construído em 1850%2C o prédio em estilo rococó já recebeu mais de 36 mil visitantes%2C boa parte estrangeiraDivulgação

“Petrópolis é mundialmente conhecida pelo legado da Família Imperial. Temos aqui também o Palácio Rio Negro, que é um símbolo da República. É fundamental que se crie um espaço para contar a história deste período de transição entre a monarquia e a democracia e isso passa pela Câmara de Vereadores. Nossa intenção é valorizar essa história e contribuir para o enriquecimento do turismo na cidade”, explica o presidente da Câmara, vereador Paulo Igor.

Segundo ele, o prédio é valorizado pela arquitetura em estilo rococó. Dentro do solar chama atenção o plenário com teto coberto por madeira, gesso e uma pintura que encanta os visitantes. A decoração do Salão Hermogênio Silva é considerada uma das mais belas do gênero e leva a assinatura do escultor Henrique Levy.

?Um passeio por pontos turísticos

?Um dos pontos altos da programação é o espetáculo “Petrópolis de todos os tempos”, com uso de vídeo em 3 D, que apresenta a história da cidade e do legislativo nos mesmos moldes do espetáculo Som e Luz, do Museu Imperial. Tecnicamente conhecido como “video mapping”, o filme reconta desde a chegada da Família Imperial e é um passeio pela história até os dias de hoje.

A produção do espetáculo é toda petropolitana: o ator Arthur Varella, o Coral Do Re Mi e o maestro Leonardo Randolfo fazem parte da encenação, que reúne os personagens Dom Pedro II (quando criança) e o mordomo Paulo Barbosa “passeando” pelos principais pontos turísticos da cidade e contando de forma ímpar a história de Petrópolis.

As exibições são gratuitas e acontecem às 21h na próxima quinta-feira e também nos dias 19 e 26 de julho e no dia 23 de agosto. Para as 20 apresentações do espetáculo foram investidos R$ 270 mil.

Ex-vereadores vão receber homenagens

?Na quinta-feira, haverá a entrega de medalhas em homenagem aos 80 ex-vereadores vivos que fazem parte da história da casa. Será lançada a reedição de 200 exemplares do livro “Câmara Municipal de Petrópolis”, obra do historiador Joaquim Eloy que retrata fatos históricos dos 155 anos de criação do poder legislativo local, desde 1859 até os dias de hoje.

Estão programadas ainda palestras sobre a história da casa, com historiadores como Paulo Machado, Luiz Carlos Gomes, Jerônimo Ferreira Alves e Arthur Varela. Os encontros acontecem nos dias 10 de julho, 14 e 21 de agosto e 11 e 25 de setembro.

No próximo dia 13, haverá a Corrida do Legislativo, uma prova de rua que passará pelas quatro antigas sedes da Câmara. A intenção é reunir 500 pessoas, com inscrições gratuitas pela internet. A programação termina no dia 23 de agosto com o Festival de Bandas Marciais, organizado desde 2009, com participação de estudantes de escolas públicas e particulares.

Você pode gostar