Casas à beira da BR-040 não serão demolidas até 2015

Acordo foi feito entre a Prefeitura de Petrópolis e a Justiça

Por O Dia

Rio - Pessoas que moram às margens da BR-040, no trecho que corta a cidade de Petrópolis, podem ficar um pouco mais tranquilas. Isso porque a Procuradoria Geral do Município conseguiu suspender, pelo período de um ano, todas as execuções das decisões judiciais de demolição das casas ao longo da rodovia neste segmento. A medida beneficia pelo menos 172 famílias que vivem nos distritos de Itaipava, Quitandinha e comunidade São Francisco.

“O acordo mostrou o bom senso da justiça, já que esses moradores não vivem em área de risco e grande parte está no local há mais de 30 anos. A região não é considerada uma área vulnerável”, destacou o prefeito Rubens Bomtempo.

Reunião nesta terça-feira com prefeitura e empresários do setor de turismo vai discutir os problemas de ItaipavaReprodução Internet

Dentro dos próximos 12 meses, a prefeitura deve fazer um levantamento das moradias e da topografia da faixa de domínio da BR-040 que passa pelo município. A intenção é regularizar as casas na faixa de domínio da rodovia. A proposta levada à Concer (Companhia de Concessão Rodoviária) e à Secretaria de Patrimônio da União é que se faça a redução da faixa para garantir que as pessoas continuem morando onde estão.

Moradora de uma casa próxima à BR-040 há 26 anos, Vera Lúcia da Costa, 64, se diz muito feliz com a suspensão da demolição de sua residência. “Estou instalada aqui desde 1988, quando houve uma grande enchente na cidade. Meu falecido marido me deixou essa casa, e não vai ser agora que vão me tirar na força”, disse ela. Para Vera, os órgãos responsáveis deveriam regularizar ou oferecer uma moradia para as famílias. “A associação dos moradores disse que iam demolir as casas e nos colocariam num abrigão. Nossos móveis e nossas coisas ficariam em um depósito da prefeitura. Todos temos direito a uma moradia, saúde e educação decentes”, disse.

O procurador geral do município, Marcus São Thiago, explicou que o acordo pretende atender ao bem comum e garantir a dignidade das famílias que historicamente ocupam as margens da rodovia. “De nossa parte, vamos manter o diálogo com todos os envolvidos, para chegarmos às melhores soluções”, disse. Ele destacou a ausência da Concer, da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes) na reunião realizada na prefeitura. Segundo ele, a Concer ainda não apresentou o levantamento cartográfico da área.

Itaipava vai ganhar corredor de turismo

Rota de muitos cariocas e fluminenses nos fins de semana, Itaipava ganhará um Corredor do Turismo para melhorar o desenvolvimento do distrito. O projeto é do Petrópolis Convention & Visitors Bureau e inclui questões ligadas à infraestrutura básica e turística de espaços geográficos específicos por onde passam os visitantes. A partir desse estudo serão propostos ajustes e soluções para a qualidade no atendimento ao turista e melhoria da imagem de um dos principais destinos turísticos da Região Serrana.

Nesta terça-feira haverá uma reunião com empresários ligados a shoppings, escolas, hotéis, pousadas e restaurantes para discutir as ações do programa. A melhoria da coleta, acondicionamento e destino do lixo será o principal tema a ser tratado. A primeira etapa do Corredor do Turismo começa no trecho de Itaipava, na Estrada do Contorno e Trevo de Bonsucesso, passando pela Estrada União e Indústria até a altura do Arranha Céu.

“Em primeiro lugar, haverá uma melhora para a população. Isso vai ajudar a valorizar a região e atrair mais os turistas. Esta ação trará benefícios para todos os empreendimentos e instituições do local”, afirmou a diretora da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis e presidente do Comtur, Evany Noel.

Reportagem de Eduardo Ferreira

Últimas de _legado_O Dia no Estado