Rio conta número de pescadores na ativa até o fim de outubro

Censo pesqueiro acontece em 19 cidades

Por O Dia

Rio - Prossegue até outubro a coleta de informações para o Programa de Caracterização Socioeconômica da Pesca e Maricultura, o chamado censo pesqueiro, que vai revelar o perfil das atividades ligadas à pesca artesanal em 19 cidades do estado. Iniciada em maio e com término previsto para março de 2015, a pesquisa já teve sua fase de coleta concluída em dez municípios (Itaboraí, Duque de Caxias, Magé, Guapimirim, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Araruama, Iguaba Grande, Búzios e Angra dos Reis) e continua em Paraty, São Pedro da Aldeia e Saquarema.

Esta semana, o trabalho será intensificado no Rio, em Niterói e São Gonçalo, onde deve prosseguir até outubro. A previsão é de que a coleta de dados termine em Paraty e em São Pedro da Aldeia até o fim de agosto, e em Saquarema, apenas no mês de setembro. Já Maricá, Mangaratiba e Itaguaí só devem receber os trabalhos de campo a partir de setembro. Em São Gonçalo, o levantamento deve terminar amanhã, com o fim das entrevistas em Itaoca, bairro que abrigará a Cidade da Pesca, em 630 mil metros quadrados, com a geração de, pelo menos, 10 mil empregos.

Financiada pela Petrobras, ao custo de R$ 1,5 milhão, a pesquisa inédita é a contrapartida exigida pelo Ibama para as atividades de produção e escoamento de petróleo e gás natural do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos nos estados do Rio, São Paulo, Santa Catarina e Paraná. “Nosso objetivo é caracterizar não só o pescador em sua localidade, mas as condições em que ele vive, onde pesca”, resume a bióloga Maria de Fátima Valentim, coordenadora geral do projeto no estado pela Fiperj.

Últimas de _legado_O Dia no Estado