Rota Cervejeira será lançada este mês na Região Serrana

Projeto orçado em R$ 8 milhões prevê visitações e degustações em fábricas locais

Por O Dia

Rio - Com objetivo de fomentar o setor de cervejas artesanais e especiais, será lançada este mês a Rota Cervejeira, que prevê visitações e degustações em fábricas da Região Serrana. O projeto vai oferecer pacotes com roteiros elaborados e comercializados por agências de turismo.

Criado pela iniciativa privada, o projeto receberá R$ 8 milhões em investimentos do governo do estado, do Sebrae e das prefeituras. Serão mais de 15 cervejarias participantes, incluindo grandes representantes do setor como a Bohemia e a Petrópolis, que também fabricam produtos premium.

"O novo serviço, além de estimular a cultura cervejeira no estado, vai permitir a interação do visitante, que poderá conhecer e participar do processo de fabricação da bebida", explicou o secretário de Turismo, Cláudio Magnavita.

Ao Ministério do Turismo caberá o reforço na divulgação do novo produto que, segundo o ministro da pasta, Vinícius Lages, reúne padrão internacional.

"Os produtos e serviços que a Região Serrana possui nesse setor são equivalentes aos melhores que existem no exterior. Vamos proporcionar ao visitante uma excelente experiência", explicou o ministro.

Segundo o secretário de Turismo de Nova Friburgo e um dos idealizadores da Rota Cervejeira, Nauro Grehs, o projeto vai incluir também parcerias com restaurantes da região, onde o visitante poderá degustar os produtos. Atualmente, o setor gera 3 mil empregos diretos e 20 mil indiretos na região. A expectativa é de que o polo receba 150 mil visitantes por ano, sendo 50 mil apenas em Nova Friburgo.

"Além das visitas às cervejarias, vamos incluir restaurantes e bares na rota. Garçons e maîtres já estão sendo treinados por sommeliers de cerveja por meio da parceria entre o Senac e o Senai", disse Nauro Grehs.

Novos sabores

Com a novidade, empresários estão investindo em reformas e adequações em suas cervejarias e até mesmo pensando em novas fórmulas e sabores para oferecer produtos ainda mais diversificados para os turistas. Caso de Giovani Buzzi, sócio da Cervejaria Buzzi, em Santa Maria Madalena. Além de criar um roteiro de visitação que envolve todas as etapas do processo de produção da bebida, Giovani pretende construir um espaço onde será instalado um pequeno museu para contar a história da cerveja e da fábrica.

"O tour vai terminar em uma central de degustação, onde o visitante poderá experimentar nossos produtos. Serão pequenos grupos e, com isso, podemos oferecer maior atenção a cada visitante, esclarecendo cada dúvida apresentada", explicou Giovani, que também tem planos de desenvolver e vender souvenires aos turistas, aumentando, com isso, seu faturamento.

Produzida inicialmente de forma caseira, a cerveja Buzzi começou a ser comercializada há menos de dois anos. Hoje, são cinco sabores disponíveis – Weiss, Stout, Red Ale, Blond Ale e Lager. A cervejaria fabrica ainda a Bock, somente no inverno, e a Rumbier, feita a partir do melado de cana, exclusividade no mercado nacional. São, no total, 8 mil litros por mês e a previsão é de que este volume dobre até o fim do ano.

"Além de contribuir para o crescimento de minha empresa, a Rota Cervejeira será uma importante alavanca para estimular o turismo da região onde fica a fábrica. Esse projeto vai ajudar a economia da nossa pequena cidade, refletindo no comércio local envolvido com turismo, como pousadas e restaurantes", ressaltou o empresário.

Com visitação de 8 mil pessoas por mês, a Vila St. Gallen, em Teresópolis, é um conhecido espaço de degustação das cervejas Therezópolis, Sankt Gallen e Sulamericana. Apesar de já receber turistas de todo o país, o empreendimento aposta na participação na Rota para dar continuidade à cultura cervejeira.

"Temos uma pequena fábrica aqui na Vila que produz as cervejas sazonais e onde são testadas novidades. Fazemos também o beer tour, que harmoniza queijos e cervejas, deixando as pessoas muito surpresas pela combinação. Queremos continuar ajudando a fomentar e fortalecer o turismo na Região Serrana, trazendo também turistas estrangeiros e estimulando as visitações durante a semana. Nossa ideia é ganhar cada vez mais adeptos das cervejas especiais", afirmou a gerente-executiva da Vila St. Gallen, Ana Claudia Pampillón.

Em Nova Friburgo, fica a fábrica da Barão Bier, que também fará parte da rota. Construída em forma de réplica das antigas estações de trem da cidade, a cervejaria existe há cinco anos e produz, atualmente, 2,4 mil litros por mês de seus quatro tipos de cerveja: Blond Ale, Pale Ale, Red Ale e Weiss.

"Queremos mostrar ao apreciador que a cerveja vai muito além de um produto para ser consumido em churrascos. Temos um artigo gourmet, para ser harmonizado, e a rota vai mostrar ao público que não se trata de uma simples bebida, mas sim de uma experiência", disse Cosme Dutra, um dos sócios da Barão Bier.

Oferecer uma experiência completa ao turista também é o objetivo de Gustavo Ranzato, proprietário da Cervejaria Ranz, em Lumiar. Criada há cinco anos, a fábrica produz 5 mil litros de cerveja por mês. São 11 tipos da bebida, sete deles com produção fixa. Alguns misturam ingredientes da região como capim limão e mel.

"Sempre procuro dar toques regionais às minhas cervejas, usando produtores locais. Mas também fabricamos as tradicionais como a Tripel e a Red Ale. Para a Rota, penso em criar receitas novas, que mudarão de tempos em tempos. Estamos criando uma nova programação visual na fábrica com um painel que vai contar a história da bebida. Ao chegar, o visitante vai ganhar um copo personalizado que usará para provar seis tipos de cerveja que farão parte da degustação", explicou Gustavo.

Incentivo também às microcervejarias

Desde agosto, as microcervejarias do estado podem se beneficiar pela lei sancionada pelo Governo do Estado para redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço). São contempladas fábricas que produzem até 3 milhões de litros anuais de cerveja ou chope artesanal que contenham, no mínimo, 90% de cereais malteados ou extrato de malte e que vendem até 200 mil litros por mês dos produtos.

A diminuição da tributação, de 25% para 13%, pretende estimular a economia e desenvolver o setor, cujo mercado consumidor vem crescendo cerca de 20% ao ano no país, e ajudar a criação de uma cultura cervejeira no estado, incrementando a indústria do entretenimento, hoteleira, gastronômica e turística.

Últimas de _legado_O Dia no Estado