Shoppings crescem no interior

Pelo menos nove dos 14 em construção no estado ficam fora da capital. Médias cidades são as preferidas

Por O Dia

Rio - A vida de uma cidade pode mudar completamente a partir da chegada de um shopping center, principalmente no interior, cada vez mais procurado pelos empreendedores do segmento. No momento, há pelo menos 14 shoppings sendo erguidos no Estado do Rio, sendo nove fora da capital, em municípios de médio porte como São Gonçalo, Nova Iguaçu, Itaboraí, Volta Redonda, Macaé, Campos dos Goytacazes, Cabo Frio, Araruama e Maricá. Somados estes empreendimentos, serão mais de 3 mil lojas.

O Maricá Plaza Shopping será o primeiro do gênero na cidade e está sendo construído na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106). A previsão é que comece a funcionar em setembro de 2016, gerando mil empregos. Ao lado do condomínio Landscape RJZ Cyrella, o shopping terá 100 lojas, um hipermercado, cinema multiplex, praça de alimentação, dois restaurantes e estacionamento com 1.300 vagas.

Maricá ganhará seu primeiro grande centro de compras até setembro de 2016%3A serão gerados mil empregosDivulgação

“A chegada de um shopping traz progresso para a região. A economia do local agradece, pois o cidadão não precisa se deslocar para trabalhar ou comprar fora do seu município”, explicou o diretor da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Luís Augusto Ildefonso da Silva.

De acordo com o executivo, a tendência é de que cada vez mais esse tipo de empreendimento deixe de se expandir nas capitais e migre para os menores centros. “Os municípios do interior têm uma demanda maior de shoppings, já que o poder aquisitivo do público consumidor nessas cidades aumentou e todos querem comprar marcas de qualidade. O custo mais alto do metro quadrado na capital também ajuda nessa diversificação”, frisou.

Mais receita e empregos para cidades

?Volta Redonda, no Sul Fluminense, está recebendo seu segundo shopping center. O Park Sul vai funcionar a partir de 2016 às margens da Rodovia dos Metalúrgicos, em área de mais de 100 mil m². Serão 200 lojas, cinco salas de cinema, praça de alimentação e estacionamento com capacidade para 1.700 mil veículos.

“É um shopping horizontal e trará novas marcas para a cidade. São dois mil postos de trabalho. Será de suma importância para reforçar a centralidade econômica do município”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jessé de Hollanda Cordeiro Júnior. Segundo ele, Volta Redonda necessitava de outro shopping. “A população da cidade está crescendo. Para o município, as principais consequências positivas são a geração de empregos e a arrecadação de impostos, que também aumenta muito”, concluiu.

O diretor do Alshop disse que, além de aumentar a receita dos municípios, os shoppings elevam a oferta de empregos e, em sua maioria, as oportunidades não necessitam de mão de obra qualificada. “Assim, o dinheiro circula mais pelo município”, afirmou.

Outra vantagem, segundo ele, é que a chegada de um shopping center traz uma melhora na mobilidade urbana e ajuda a valorizar o mercado imobiliário. “É um atrativo para outras empresas que procuram se instalar no entorno. A criação de residências e condomínios aumenta”, afirmou.

?A redação-móvel do DIA circula pelo Estado do Rio em um Fiorino da Fiat

Últimas de _legado_O Dia no Estado