Suspeita de surto em alto-mar

Sindicato denuncia virose que teria atingido 20 trabalhadores em plataforma da Bacia de Campos

Por O Dia

Rio - Pelo menos 20 trabalhadores que estavam na plataforma P-20, no Campo de Marlim, na Bacia de Campos, passaram mal na última semana, segundo o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF). Um deles, que estava em estado grave, foi desembarcado. A Petrobras nega a informação de que houve uma virose. No entanto, o sindicato quer uma explicação da empresa sobre a questão e vai enviar um ofício pedindo que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) faça uma fiscalização no local.

Ainda de acordo com o Sindipetro-NF, o surto começou na semana passada, quando os funcionários teriam comparecido à enfermaria da plataforma com os mesmos sintomas: dor de cabeça, vômito, febre e falta de apetite, durante pelo menos três dias. O caso chegou ao conhecimento do sindicato por meio de denúncia dos próprios trabalhadores, no último sábado.

Sindipetro-NF alega que más condições de higiene e qualidade da alimentação teriam causado mal-estarDivulgação

“Tudo leva a crer que foi contaminação por alimento. Pode ter sido por carne ou peixe estragado ou até por falta de higienização. Já recebemos reclamações que a alimentação na plataforma está com a qualidade muito baixa. Queremos que haja uma melhoria na comida e na limpeza dos quartos”, disse o diretor da Sindipetro-NF, Marcelo Nunes.

Segundo ele, um trabalhador disse por telefone que aproximadamente 20 pessoas começaram a sentir os sintomas na semana passada. Como houve troca de turno, algumas delas foram para casa passando mal. O diretor destacou que a informação recebida pelo sindicato é de que quase todos se recuperaram a bordo. “Apenas um trabalhador, que é terceirizado, desembarcou em Macaé. Soubemos que ele ficou sete dias doente a bordo”.

Petrobras nega surto de virose

A Petrobras informou, por meio de nota, que não aconteceu um surto de virose na plataforma P-20. De acordo com a empresa, apenas um trabalhador desembarcou por causa de uma doença respiratória viral e não foram registrados outros casos.

“O trabalhador recebeu avaliação pré-hospitalar na unidade e, em seguida, foi desembarcado para Macaé, no Norte Fluminense, onde passou por atendimento médico, tendo sido liberado no mesmo dia”, explicou. Ainda segundo a nota, o trabalhador encontra-se em condições normais de saúde.

Últimas de _legado_O Dia no Estado