Por thiago.antunes

Rio - Aos 72 anos e 18 morando na Praia das Pedrinhas, em São Gonçalo, o pescador Geneci Mariano de Moraes passará a usar a internet no celular para “vender seu peixe”. Ele é um dos beneficiados pelo wi-fi gratuito que será estendido a partir de hoje até a colônia dos pescadores da região. A cidade da Região Metropolitana está entre as muitas do estado que apostam na oferta desta tecnologia à população. E tudo totalmente de graça e sem limitação.

Em São Gonçalo%2C o pescador Genecy vai passar a ‘vender seu peixe’ pela internet na Praia das PedrinhasDivulgação

“Os pescadores da região estão satisfeitos, pois precisam se conectar e pesquisar preço para sua mercadoria. Eles vão poder trabalhar segundo a tabela do mercado”, declarou Genecy, que já usa o sistema no calçadão e em sua residência e se prontificou a ajudar as pessoas que não souberem utilizar o serviço. O sistema aberto de internet oferecido na cidade permite a navegação com a tecnologia wi-fi com acesso gratuito e ilimitado para moradores e visitantes, por meio de notebook, celular, tablet e outros dispositivos com rede wireless.

“Nos dias atuais, em que a internet é um instrumento de comunicação amplamente utilizado, o poder público não pode ficar de fora. Começamos com uma área turística, mas a intenção é levar o wi-fi também para os grandes centros do município”, ressaltou o secretário de Governo, Sandro Almeida. Até fevereiro, duas praças receberão o programa Internet para Todos: a do Gradim e a Estephânia de Carvalho (Zé Garoto).

Macaé, Volta Redonda e Teresópolis também investem na tecnologia. Em Macaé, a prefeitura oferece, desde junho do ano passado, internet sem fio gratuita em diversos pontos. Para utilizar, basta que o usuário selecione “Macaé Digital” em seu celular, tablet ou laptop e comece a navegar. Também estão liberadas as redes sociais Facebook e Twitter, além do acesso a email. O sistema está disponível nas praças do Aeroporto, Barra, Visconde, Aroeira, Campo d’Oeste e Washington Luiz, no Centro. A proposta é estender o serviço a outros pontos da cidade.
Publicidade
Em Volta Redonda, a prefeitura investiu R$ 1,5 milhão no projeto Aldeia Digital, que desde julho passado leva internet gratuita a toda a população, em casa e nas ruas, por meio de uma rede de fibra ótica com 130 quilômetros — a maior do Brasil (a segunda maior é Porto Alegre, com 87 km). Já em Teresópolis, o sinal wi-fi livre funciona em diversos pontos da cidade desde maio do ano passado, graças a antenas instaladas nos locais de acesso.
Promessa de sinal em todo o estado
Publicidade
Em dezembro passado, o governo do estado anunciou que vai levar internet wi-fi, por meio de cabos de fibra ótica, para os 92 municípios fluminenses nos próximos anos. O projeto foi inspirado no Piraí Digital, projeto que transformou o pequeno município do Sul Fluminense em modelo de cidade inteligente e integrada e favoreceu o desenvolvimento econômico local.
Criado em 2004 e vencedor de vários prêmios de inovação, o projeto tem como objetivo fazer com que toda a população possa usufruir as novas tecnologias e participar dos processos decisórios. Atualmente, moradores de 16 bairros são beneficiados. Em ruas, praças e telecentros digitais de todos os distritos, os usuários têm acesso à internet gratuita, de 100 megabytes.
Publicidade
Todos os alunos da rede municipal de ensino de Piraí usam laptop em atividades pedagógicas e educacionais, com softwares gratuitos. A iniciativa faz parte do Projeto UCA - Um Computador por Aluno, cujo convênio com o governo do estado foi assinado em 2008 para ampliar a oferta de computadores.
Publicidade
Você pode gostar