Lixo nas praias é o desafio do verão

Cidades do litoral fluminense promovem ações de limpeza

Por O Dia

Rio - Verão é sinônimo de areia lotada e muito lixo deixado para trás no litoral fluminense. Na Região dos Lagos, até carcaças de barracas de ambulantes foram retiradas do mar durante uma ação na semana passada para garantir a limpeza das praias em Arraial do Cabo. Na Praia do Forno, 100 servidores públicos participaram da operação e cerca de 60 toneladas de resíduos foram recolhidas da areia e da trilha. Novos galões de lixo foram colocados no local. Na Prainha, foram recolhidos 100 quilos de lixo e na Praia do Pontal, mais duas toneladas.

De acordo com o secretário de Serviços Públicos, Francisco de Assis, a maior parte foi de descartáveis, deixados pelos banhistas, como copos e palitos de churrasco. “São resíduos que, além de poluir a natureza, podem causar acidentes, como palitos pontiagudos que são jogados na areia”, afirmou. A operação de limpeza permanecerá até o fim do verão em todas as praias cabistas. “A medida é importante porque, além de manter a cidade limpa, auxilia na atração de turistas”, disse a estudante Déborah Carvalho, de 20 anos.

Até barraca de ambulante foi retirada da água durante ação para limpeza da Praia do Forno%2C em ArraialDivulgação

Em Cabo Frio, que diz ostentar o título de “cidade mais limpa do Brasil”, 1.500 varredores têm retirado em média 300 toneladas de lixo por dia das ruas. Foram contratados 450 temporários neste verão, sendo 300 para as praias. Uma força-tarefa aconteceu na Praia das Conchas e Ilha do Japonês. Foram cerca de 60 pessoas trabalhando, e retiradas 12 toneladas de lixo das praias.

Já em Paraty, na Baía de Ilha Grande, o prefeito Carlos José Gama, o Casé (PT), afirmou que não há uma operação específica para o verão, mas sim para todo o ano. “Há mais de um ano, fazemos coleta seletiva costeira através de barcos. Em cada comunidade, existe um centro de lixo para turistas e moradores. A embarcação passa e recolhe todo o lixo selecionado duas vezes por semana. É uma coleta bem eficiente”, disse.

Alternativas de coleta em Rio das Ostras

Cerca de 15 mil sacolinhas oxi-biodegradáveis — material que se decompõe mais rapidamente —, foram distribuídas para banhistas em Rio das Ostras neste verão. A ação de conscientização, que recebe o nome de ‘Projeto Praia Limpa, diversão para todos’, foi iniciada em dezembro passado nas praias de maior circulação de moradores e turistas da cidade.

Diariamente, grupos percorrem a Lagoa de Iriry e as praias de Costazul, Cemitério, Centro, Pica-pau e Tartaruga. A iniciativa da Secretaria do Ambiente da cidade, que acontecerá até o final do Carnaval, tem apoio de moradores e turistas. A turista Regina Ferreira, que é professora e mora em São Paulo, elogiou a ação em Costazul. “Estamos impressionados com o cuidado com a natureza. Essa praia é linda demais! Precisamos preservar esse lugar e assim aproveitar, ainda mais, essa maravilha de Rio das Ostras”, destacou.

O trabalho de coleta em datas de grande movimentação turística, como no último Réveillon, o município chegou a recolher até 195 toneladas de lixo em um único dia, contra 100 toneladas em Arraial do Cabo Frio. Já em Cabo Frio, foram recolhidas 800 toneladas no período. Segundo a Prefeitura de Rio das Ostras, moradores, turistas e veranistas podem ajudar nas ações de limpeza da Secretaria do Ambiente colocando o lixo domiciliar bem embalado nos dias e horários certos para coleta.

Reportagem de Vinícius Amparo

Últimas de _legado_O Dia no Estado