Por felipe.martins

Rio -  A cobrança de estacionamento na Praia das Conchas, em Cabo Frio, vem causando muita polêmica neste verão. O secretário de Meio Ambiente de Cabo Frio, Jailton Dias Nogueira, registrou ontem queixa na 126ª DP contra vândalos que atearam fogo na cabine construída no mês passado para ordenar o estacionamento de veículos no local.

A cabine foi construída para ser a base dos agentes do município, da PM e do Inea que controlam o acesso à praia. O ordenamento limitou em 600 o número de carros estacionados numa área próximo à praia. Segundo a prefeitura, até o ano passado o estacionamento era controlado por flanelinhas que chegaram a colocar até dois mil carros no local. Para isso, destruíram a vegetação de restinga e resistiram ao ordenamento da área de preservação.

Prefeitura de Cabo Frio instalou a guarita na Praia das Conchas em janeiro último para regular o trânsitoDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

“Não recuaremos diante do vandalismo e da vontade de uns poucos bandidos que querem extorquir turistas e moradores, destruindo nosso meio ambiente. Cabo Frio não é mais terra de ninguém”, disse Jailton. Com o objetivo de ordenar o estacionamento no local e “coibir a desordem”, a Prefeitura de Cabo Frio cobra R$ 3 para os carros com placa do município e R$ 10 para os oriundos de outras cidades e estados. A determinação desagradou turistas e donos de quiosques do local.

“Deus que criou a natureza, a praia. O direito de ir e vir fica prejudicado. Eu não concordo. Podiam criar outra forma de ordenar o local. Se houver bagunça, o poder público que atue, mas cobrar R$ 10 é muito. Essa é a terceira vez que venho a Cabo Frio e a primeira na Praia das Conchas. Um amigo que vem sempre aqui ficou muito bravo”, contou o mineiro de São João Del Rei, Wander Lima Cardoso, de 34 anos.

A ação começou em 9 de janeiro. A Praia das Conchas faz parte do Parque Estadual da Costa do Sol. Agora, há placas indicativas, sinalização e, antes de chegar à orla, cancelas servem para que os guardas municipais orientem os visitantes.Quem estacionar em local proibido pode ter o veículo rebocado.

Segundo a prefeitura, o local tem capacidade para cerca de 600 carros e, por conta disso, foi detectado que grupos de flanelinhas estavam brigando para tomar conta do estacionamento. Alguns cobravam mais de R$ 20 por carro, dependendo do dia da semana. “A prefeitura ordenou a Praia das Conchas, a visitação adequada, a harmonia do local, e parou o distúrbio”, reforçou Jailton Nogueira Junior.

Presidente da Associação de Comerciantes e Amigos da Praia das Conchas, Ernani Gomes da Silveira concorda com o ordenamento, mas reclama que a cobrança do estacionamento afetou o lucro dos quiosques da praia: “O lucro dos quiosques caiu 50% por causa disso.”

Estacionar em Búzios ficou mais caro

O visitante que for de carro a Búzios vai gastar mais para estacionar. As vagas públicas custam R$ 3 a hora para quem não é morador. A lei municipal começou a vigorar em dezembro e vem irritando os frequentadores.

Quem não pagar será multado em R$ 53,20, pode perder três pontos na carteira e ter o veículo rebocado. Para um monitor que cobra o estacionamento, a lei melhorou o abuso dos flanelinhas. “Antes tinha gente que cobrava R$ 20 aqui perto da Orla Bardot. Isso acabou. Foram instaladas placas de sinalização e 70 monitores cobram a tarifa”, conta o funcionário. O sistema tem mais de 800 vagas rotativas no Centro.

Outras 1.200 foram criadas em Geribá, Ferradura, João Fernandes, Ossos e Brava. Motoristas de Búzios, taxistas e deficientes estão isentos da tarifa. Luiz Carlos da Rocha protestou: “Vim de Belém, no Pará, e acho um absurdo. Vou ficar mais de seis horas e vou gastar R$ 18.”

Você pode gostar