Corte e poda de árvores em Nova Friburgo serão retomados

Após muita polêmica, MPF e Iphan dão sinal verde para os serviços, mas apenas em casos emergenciais. Eucaliptos serão replantados pela prefeitura

Por O Dia

Nova Friburgo (RJ) - Depois de muita polêmica, a Prefeitura de Nova Friburgo vai retomar no início de março a poda e corte de árvores centenárias na Praça Getúlio Vargas, no Centro da cidade. Os serviços haviam sido suspensos há 15 dias, após intervenção do Ministério Público Federal (MPF) e uma série de protestos de moradores e ambientalistas.

A retomada dos serviços foi decidida em reunião ontem entre representantes da prefeitura, MPF e Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), uma vez que a praça é tombada. Ficou acordado ainda que serão podadas ou cortadas árvores "apenas em casos emergenciais, de necessidade."

O serviço foi iniciado no dia 7 de janeiro e supenso em 11 de fevereiro. No total, seria realizado o corte raso de 40 eucaliptos e a poda em outras 44 árvores, mas apenas 27 foram cortadas ou podadas, de acordo com informações da prefeitura.

Novo projeto prevê replantio

No próximo dia 4, às 11h, na sede da prefeitura, representantes do governo municipal, Iphan, MPF e Universidade Estácio de Sá (Unesa) iniciarão a discussão do projeto de revitalização paisagística da Praça Getúlio Vargas, que será dividida em duas etapas. 

Serão investidos R$ 8 milhões no projeto. De acordo com nota da prefeitura, a primeira - e mais urgente - etapa prevê o replantio de eucaliptos para substituir os que foram retirados por estarem colocando em risco a vida da população e de turistas.

Pela primeira vez na mesa de negociações, o Iphan acenou com a possibilidade de liberar parte dos recursos para a recuperação emergencial da praça. A outra parte ficará sob responsabilidade da prefeitura. A segunda etapa do projeto será realizada posteriormente, por meio da captação de recursos federais.

Segurança da população

Na reunião, o prefeito Rogério Cabral reiterou que a ação tem o sentido da preservar a vida dos cidadãos. Segundo ele, o objetyivo é oferecer mais segurança aos cidadãos que transitam pela praça e poderiam ser atingidos pela queda de galhos já condenados.

Ele destacou que a prefeitura tem fornecido as informações solicitadas pelos órgãos fiscalizadores e a imprensa, bem como recebido manifestantes contrários à ação na praça para esclarecer as dúvidas levantadas.

Também participaram da reunião o superintendente do Iphan, Ivo Barreto, e o procurador do MPF, João Felipe Villa do Miu, além de sete secretários municipais e o corpo técnico da Unesa.

* Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Nova Friburgo.

Últimas de _legado_O Dia no Estado