Força-tarefa de instituições pretende salvar a Lagoa de Geribá, em Búzios

Baixo nível do espelho d’água é agravado pelo acúmulo de lixo

Por O Dia

Rio - Alimentada exclusivamente pela água das chuvas, sem a contribuição de rios, canais ou do mar, a Lagoa de Geribá, em Armação dos Búzios, agoniza com a longa estiagem dos últimos tempos.

O baixo nível do espelho d’água é agravado pelo acúmulo de lixo às margens e pelo despejo de esgoto pelas saídas de águas pluviais. Para reverter a situação, as secretarias municipais de Obras e de Meio Ambiente definiram ontem um plano de recuperação ambiental que terá apoio do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e da SEA (Secretaria de Estado do Ambiente).

A primeira medida, que começa ainda esta semana, será atenuar o mau cheiro causado pela mortandade de peixes, uma das maiores reclamações dos moradores. A limpeza da vegetação e da dragagem de locais específicos e uma campanha para descarte adequado de lixo residencial também estão previstos. A prefeitura planeja junto à concessionária Prolagos regularizar a rede coletora de esgoto das casas próximas, o que dependerá da construção de uma estação de tratamento.

Em operação paralela, a pedido do Ministério Público, foi embargada ontem a Pousada Brava Club, que funcionava sem licenciamento ambiental na Praia Brava, em Búzios. Com 29 apartamentos e um complexo que inclui o Silk Beach Club, o estabelecimento já havia sido notificado e multado anteriormente.

Últimas de _legado_O Dia no Estado