Por nicolas.satriano

Rio - A primeira sessão ordinária de 2015 da Câmara Municipal de Angra dos Reis foi “animada” nesta terça-feira e quase terminou na delegacia. Uma confusão envolvendo a prefeita Conceição Rabha (PT), vereadores da base do governo e da oposição e servidores comissionados que lotavam o plenário levou turbulência à cidade. Para tentar conter os ânimos, a Polícia Militar compareceu ao local e só não interveio por decisão do presidente da Casa, Marco Aurélio (Pros).

“A gente sabia que este dia poderia ser conturbado e por isso colocamos policiamento na região para tentar evitar qualquer tipo de conflito. Quando entramos na Câmara, estava acontecendo uma discussão, mas, em respeito ao presidente da Casa, deixamos os conflitantes se resolverem”, disse o tenente-coronel Paulo Roberto, do 33º BPM (Angra dos Reis).

O vereador Helinho do Sindicato (PCdoB) criticou a administração municipal, dizendo que não há planejamento e a cidade está “ao deus dará”. Também questionou a “presença em massa de funcionários de cargos comissionados, que afrontaram o presidente da Câmara, quando deveriam estar trabalhando”.

Já o vereador da base do governo, Eduardo Godinho (PT), afirmou que “foi a oposição quem causou estardalhaço.” Segundo ele, os vereadores ocuparam a Câmara duas horas antes de começar a sessão, “impedindo a entrada daqueles que queriam trabalhar.”

A prefeita cancelou seu pronunciamento, que acabou sendo feito pelo seu secretário de Governo, Robson Marques de Souza. Procurada, Conceição informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não iria se pronunciar a respeito.

Reportagem de Vinícius Amparo

Você pode gostar