Vacinação contra HPV é ampliada para meninas de 9 a 11 anos em Resende

Aproximadamente 100% dos casos de câncer de colo de útero, estão relacionados com infecção por HPV

Por O Dia

Rio - Este ano, a oferta da vacina contra o Papilomavírus Humano (HPV) foi ampliada para as meninas de nove a 11 anos de idade em Resende, na região do Médio Paraíba. A vacina está disponível em todos os postos da rede pública, durante todo o ano, como parte da rotina de imunização. O vírus é um dos principais causadores do câncer de colo de útero, e o objetivo da campanha é reduzir os índices de mortalidade pela doença no país.

Na primeira etapa da Campanha de Vacinação contra HPV, foram vacinadas meninas de 11 a 13 anos. Quem ainda não tomou a primeira dose, pode procurar as unidades de saúde do município. As meninas já vacinadas devem ficar atentas pois são três doses da vacina, sendo que a segunda deve ser administrada seis meses depois; e a terceira, cinco anos após a primeira dose.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina passa a fazer parte do calendário básico de vacinação oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), respeitando as faixas etárias estabelecidas.

A vacina contra HPV tem eficácia comprovada para mulheres que ainda não tiveram contato com o vírus, por isso o Ministério da Saúde deu preferência para essas faixas etárias.

A enfermeira Maria Regina de Paula, responsável pelo Centro Municipal de Imunização, explica que aproximadamente 100% dos casos de câncer do colo do útero estão relacionados com infecção por HPV. A evolução da doença é muito lenta e geralmente não apresenta sintomas.

"A cada dois minutos uma mulher morre em virtude do câncer de colo de útero no mundo. Segundo estimativas, 80% das mulheres sexualmente ativas terão infecções por HPV antes dos 50 anos. Mas é bom destacar que a contaminação não é sinal de promiscuidade",  reforçou.

O Papilomavírus Humano é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual.

A enfermeira alerta também que a vacinação não exclui as ações de prevenção, como o uso da camisinha e o exame Papanicolau, indicado para mulheres que já iniciaram a vida sexual.

Últimas de _legado_O Dia no Estado