Poços artesianos irregulares são lacrados em São João de Meriti

Empresa Ki-Água Distribuição Comércio e Transportes tinha reservatórios com capacidade total para 200 mil litros e explorava poços artesianos sem autorização do Inea

Por O Dia

Rio - A Superintendência Regional Baía de Guanabara do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), com apoio do Comando de Policiamento Ambiental (Cpam), lacrou nesta sexta-feira (13) quatro poços artesianos irregulares que estavam nas instalações da Ki-Água Distribuição Comércio e Transportes, no bairro Parque Vilar dos Teles, em São João de Meriti. A empresa havia requerido uma certidão ambiental de uso insignificante para apenas um poço, que seria destinado à lavagem de caminhões, mas funcionava, na verdade, como distribuidora de água.

Nas instalações da empresa, a fiscalização constatou que, além dos quatro poços, havia oito reservatórios com capacidade para 25 mil litros cada e carros-pipa para transporte. Além do lacre dos poços, o processo de certidão foi indeferido e emitido um auto de constatação para aplicação de multa, com base na legislação ambiental, pela prestação de informações falsas ao Inea. O responsável pela empresa foi levado à 64ª Delegacia de Polícia de São João de Meriti para registro de ocorrência.

"Os oito reservatórios encontrados na empresa totalizam 200 mil litros de água, o suficiente para abastecer uma família de quatro pessoas por mais de um ano", disse o superintendente regional Paulo Cunha.

Desde o início do ano, a fiscalização foi intensificada devido à crise hídrica. Em fevereiro, dois depósitos clandestinos foram flagrados em São Gonçalo e São João de Meriti. Dois poços artesianos foram lacrados e um caminhão pipa foi apreendido, em ações que tiveram o apoio da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA).

Últimas de _legado_O Dia no Estado