Por rosayne.macedo

Rio - Moradores de várias cidades do interior do estado também aderiram aos protestos deste domingo (15) contra o governo de Dilma Roussef, op PT e a corrupção. No Sul Fluminense,Três Rios, Resende, Barra do Piraí, Volta Redonda e Barra Mansa foram às ruas. Convocados por meio das redes sociais, os manifestantes vestiram roupas das cores verde e amarela, carregaram bandeiras do Brasil e cartazes.

No fim da manhã, na região, 80 caminhoneiros fizeram uma carreata na Via Dutra, segundo a concessionária que administra a rodovia, a NovaDutra. O sindicato dos transportadores autônomos da região Sul Fluminense informou que era um protesto contra a falta de assistência da CNT (Confederação Nacional de Transporte). Eles trafegaram pela faixa da direita em uma velocidade de 15km/h.

Durante a manhã, moradores de Volta Redonda chegaram a fechar uma faixa da BR-393 (Rodovia Lúcio Meira), na altura da Vila Santa Cecília. Apesar do transtorno, o protesto seguiu de forma pacífica.

Em Barra Mansa, também pela manhã, moradores marcharam pela cidade até a Praça do bairro Ano Bom, onde houve um abraço simbólico. Integrantes da Associação Cultural Alfa e Ômega, que organizou o ato, discursaram em cima de um trio elétrico.

Nas duas cidades, de acordo com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e a Polícia Militar, 2.500 pessoas participaram dos protesos.

Em Três Rios, a concentração foi na Praça São Sebastião, no Centro. O ato também contou com integrantes da Câmara de Dirigentes e Lojistas (CDL) que pediam a reforma tributária. De acordo com a Guarda Municipal, 500 pessoas participaram do protesto. Já a Polícia Militar informou que 200 pessoas estiveram nas ruas.

Em Resende, segundo organizadores, a marcha reuniu 1.600 pessoas no bairro Campos Elíseos - a Polícia Militar estimou público de 2 mil moradores. Em Barra do Piraí, a manifestação aconteceu no Largo da Feira, no Centro. A organização estimou que mais de 200 pessoas estiveram no ato. Já a Polícia Militar informou que 150 participaram.

Na Serra

Na Região Serrana, as cidades de Petrópolis e Nova Friburgo também registraram manifestações. Segundo a Polícia Militar e o organizador Uilian Santos - estudante de jornalismo que promoveu o ato através de redes sociais - cerca de 3 mil pessoas participaram da manifestação em Petrópolis.

Em Nova Friburgo, segundo a PM, foram 200 participantes e os organizadores informaram ser cerca de 300 pessoas. O grupo se concentrou na Praça Dermeval Barbosa Moreira e seguiu em passeata, fechando a Avenida Alberto Braune, no Centro. Em frente à prefeitura, os manifestantes sentaram e cantaram o Hino Nacional.

Já em Petrópolis, a primeira concentração ocorreu às 10h, em Itaipava, onde caminhoneiros seguiram em buzinaço para se juntar a outros manifestantes na Praça Dom Pedro, no Centro. O grupo, inicialmente de 20 pessoas, reclamou do alto custo do diesel e carregou cartazes.

Às 15h, cerca de 500 pessoas já ocupavam a praça, segundo a PM. A passeata foi engrossando durante o trajeto, que partiu da Rua do Imperador, parando em frente à sede da prefeitura e terminou na Praça Visconde de Mauá, em frente à Câmara dos Vereadores.

Região dos Lagos

Manifestantes também se reuniram em Macaé, Cabo Frio e São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos. Além da defesa do impeachment de Dilma e do combate à corrupção,  houve pedidos de intervenção militar no Brasil, em São Pedro.

Em Macaé, 150 pesoas, segundo a PM - ou 400 segundo os organizadores - participaram do protesto na orla da Praia de Cavaleiros. Apesar de se programarem para irem até a sede da Petrobras, em Imbetiba, os organizadores preferiram andar pela orla da praia, por cerca de uma hora, acompanhados de um carro de som.

Em Cabo Frio, cerca de 60 manifestantes se reuniram na Praça Porto Rocha, segundo os organizadores. A PM não chegou a ser acionada. Uma faixa reinvindicava o pagamento de indenizações referentes à demissão de servidores federais no período da Ditadura Militar. 

Em São Pedro da Aldeia a manifestação foi na Praça Dr. Plínio Assis Tavares. Segundo os organizadores havia cerca de 70 pessoas no local. De acordo com a PM, eram aproximadamente 50.

Norte Fluminense

Em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, a manifestação reuniu cerca de 1 mil participantes - ou 700, segundo a PM. Na rede social foram 50 mil convidados e 4.700 confirmaram presença. O grupo saiu da Praça São Salvador, no Centro, e percorreu as ruas até a Avenida Pelinca, área nobre da cidade.

O protesto contou com o apoio da Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Associação dos Médicos de Campos, Sindicato do Comércio Varejista, Loja Maçônica e Motoclube.


Setenta policiais militares acompanharam o protesto para combater possíveis conflitos, mas nenhuma confusão aconteceu. Guardas municipais também reforçaram a segurança no local.

Você pode gostar