GM Ambiental de Macaé apreende número recorde de aves silvestres

Ao todo, de janeiro até março, 22 aves foram apreendidas

Por O Dia

Rio - De janeiro a março desde ano, a Guarda Municipal Ambiental de Macaé, no Norte Fluminense, apreendeu 22 aves silvestres. Entre elas, as espécies tie sangue, pichanchão, trinca ferro, curió, azulão e bicudo destacam-se como principal alvo de caçadores e criadores irregulares. Esses pássaros estão em extinção. O trabalho da Guarda Ambiental é resultado de uma parceira do órgão com a população, realizado através de denúncias anônimas e solicitações de serviços.

Segundo o comandante da Guarda Ambiental, Madson Nazareno, das 22 aves apreendidas, 12 foram capturadas em apenas uma residência, localizada no km 6, na estrada do Horto. E para cada exemplar, varia de R$ 500 a R$ 1 mil o valor somado à multa usual. As aves capturadas recebem avaliação e tratamento específicos dos veterinários e biólogos da secretaria de Ambiente, e após as devidas providências, é feito o procedimento de obstrução de gaiolas, soltura e devolução do animal ao seu habitat. Os animais mais debilitados, que precisam de maiores tratamentos, são encaminhados para instituições parceiras.

De janeiro a março desde ano%2C foram 22 aves silvestres apreendidasJuranir Badaró/Divulgação

De acordo com Madson, a arara de lear, capturada no bairro Cabiúnas, na última sexta-feira (27), está sendo cuidada pela equipe do Centro de Reabilitação de Animais (CRAS), da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro. “Por ser uma espécie rara, enquadrada no nível alto de extinção, ficamos surpresos com seu aparecimento, já que sua origem é do norte do Brasil”, esclareceu.

A atividade de busca e apreensão de animais silvestres é baseada na Lei 9.605, artigo 29, que retrata “matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida tem pena de detenção de seis meses a um ano e multa”. E pode ser triplicada se for comprovada a caça ambiental.

Até a próxima semana, quatro processos de denúncias de pássaros em cativeiros irregulares serão checados pela equipe da Guarda Ambiental. Por dia, oito homens estão envolvidos nas atuações demandadas. A equipe da Guarda Ambiental atua em parceria com a secretaria de Ambiente e policiamento civil. Para denunciar algum crime ambiental ou focos de incêndios, a população deve ligar para o número (22) 99701-9770.

Últimas de _legado_O Dia no Estado