Por vinicius.amparo

Maricá (RJ) - A Superintendência Regional Baía de Guanabara, do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) fez nesta última sexta-feira (10) nova vistoria no Rio Ubatiba, em Maricá, na Região Metropolitana do Rio, alvo de denúncias de represamento e captação irregular de água que poderiam comprometer o abastecimento de água do município.

O superintendente Paulo Cunha constatou que as notificações da vistoria anterior, realizada no dia 26 de março, estão sendo cumpridas: um dos moradores, proprietário de um sítio, desfez a captação e uma barragem construídas na margem do rio. Acompanhado da promotora Luciana Soares Rodrigues, do Ministério Público em Niterói, e de representantes da Prefeitura, o superintendente percorreu o rio até a nascente, na localidade do Silvado. "A vazão constatada na nascente é de cinco metros cúbicos por segundo. Segundo a Prefeitura, esta é a vazão verificada nos últimos 10 anos. Existe a necessidade, porém, de recuperação da mata ciliar ao longo do rio", afirmou Paulo Cunha.

O Rio Ubatiba é fundamental para o abastecimento de água do município. A vistoria atendeu às solicitações da Cedae, que administra a estação de tratamento de água do município — abastecida pelo Rio Ubatiba — e do Ministério Público.

Poço clandestino é lacrado

A Superintendência Regional lacrou nesta última quinta-feira (09), um poço clandestino em São João de Meriti, em operação que contou com o apoio da Companhia de Policiamento Ambiental (Cpam) da Polícia Militar. O poço, que não tinha outorga, era utilizado pela Transportadora Transouza, cujo proprietário foi conduzido à 64ª Delegacia.

Você pode gostar