Por felipe.martins

Rio - Trinta e cinco municípios do Estado do Rio de Janeiro vão receber delegações de atletas para treinamento e hospedagem durante os Jogos Olímpicos. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) não informou quais são as cidades, mas aquelas mais próximas da capital e com boa estrutura para receber os atletas são as mais cotadas. O estado também vai liberar R$ 4 milhões para 40 cidades incentivarem a formação de novos atletas no interior.

Para o superintendente executivo de Esporte do COB, Marcus Vinicius Freire, diferentemente da cidade do Rio, que não conta com instalações adequadas, há municípios no interior que estão preparados para receberem as equipes estrangeiras. “O estado tem muitas opções para os atletas treinarem em locais com as especificações olímpicas. Nova Friburgo, Petrópolis, Teresópolis e Queimados têm quadras de vôlei dentro das recomendações”, citou. Segundo ele, na cidade do Rio, só o Maracanãzinho possui estas especificações exigidas. “Angra dos Reis, por exemplo, será sede das delegações do judô”, contou ontem o ex-atleta de vôlei e medalhista olímpico no 1º Fórum Estadual de Secretários e Gestores Municipais de Esportes.

Lideranças do esporte em 52 municípios participaram de fórum no RioBruno de Lima / Agência O Dia

O evento reuniu representantes de 52 cidades e debateu projetos que já estão sendo implementados pelo governo do estado. “O estado tem novos equipamentos e está fazendo parcerias com os municípios para incentivo a atividades esportivas. A Vila Olímpica de Volta Redonda, em construção, é um exemplo. Três Rios, Queimados, Saquarema também são polos dentro do estado. Queremos investir na base para que atletas de alto rendimento surjam cada vez mais”, disse o secretário estadual de Esporte, Lazer e Juventude, Marco Antônio Cabral.

“Essa iniciativa trará benefícios enormes para todo o estado. A indústria do esporte, estimulada pelos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, vai gerar oportunidades em diversas áreas, como comércio, marketing, administração e medicina e até jornalismo”, disse o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.

Legado para formar atletas

Para formar novos atletas em futuras competições, as secretarias de Esporte e Planejamento e Gestão querem associar os projetos a atletas de renome para atrair cada vez mais crianças e jovens. O subsecretário de Planejamento e Gestão, Rafael Farias, anunciou no evento o lançamento, ainda este ano, do primeiro edital do Esporte. Prefeituras dos 91 municípios, sem contar o Rio, poderão apresentar projetos de até R$ 100 mil.

“Nomes como Bernardinho e Lars Grael vão compor a comissão julgadora. Os 40 principais projetos serão escolhidos para receber o recurso. O total será de R$ 4 milhões”, destacou. Segundo ele, a Lei Pelé determina repasses do dinheiro das loterias federais para o COB, o Comitê Paralímpico Brasileiro, o Ministério do Esporte e a Confederação Brasileira de Clubes (CBC). “A lei de incentivo só era utilizada em eventos. Estamos trazendo medalhões para construirmos projetos duradouros. Não só os empresários podem usufruir a lei. As pessoas também têm que ganhar com ela”, explicou.

Ainda segundo Farias, o Rio 2016 vai apresentar para os municípios do interior o projeto Transforma, para envolver mais os municípios com a Olimpíada. “Serão levados sete esportes para as cidades. Em um dia, serão atendidas 500 crianças. Profissionais de Educação Física vão analisar quais têm maior potencial e em qual modalidade para que o governo invista nestes futuros atletas”.

Você pode gostar