Deficientes têm aulas de natação gratuitas em Nova Iguaçu

Aulas começaram na última sexta-feira e já contam com 82 inscritos

Por O Dia

RIO - A primeira piscina pública da Baixada Fluminense, em Nova Iguaçu, administrada pela prefeitura, agora também oferece aulas gratuitas de natação para pessoas com deficiência. Desenvolvida no Centro de Formação Olímpica, através da Subsecretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, as aulas começaram na última sexta-feira, dia 17, já contam com 82 inscritos e acontecem em parceria com as secretarias de Esporte e Saúde.

A primeira aula contou com a presença do prefeito Nelson Bornier, que aprovou a iniciativa. “Esta é mais uma prova de respeito da prefeitura com a sociedade. Nosso governo está ao alcance de toda sociedade”.

Professores e estagiários de Educação Física, além de técnicos de enfermagem, fazem parte do corpo da equipe. As aulas serão ministradas todas quartas e sextas, nos turnos da manhã e da tarde. Podem participar alunos a partir dos sete anos, de ambos os sexos e com qualquer tipo de deficiência. “Nosso objetivo é incluir. Por isso, a atividade não visa apenas o alto rendimento. Queremos que essas pessoas possam se socializar e que a natação seja mais um auxílio no trabalho de reabilitação”, explica Valeni Costa, subsecretário dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

A secretária de Assistência Social, Cristina Quaresma, comemorou o sucesso do projeto. “Mais uma vez Nova Iguaçu mostra um trabalho diferenciado, com mais oportunidades para o deficiente. Tanto que já somamos mais de 20 mil atendimentos. Nosso objetivo é que todos estejam cada vez mais inseridos na sociedade”, disse ela.

As turmas serão divididas por grau e deficiência. As aulas terão duração de 40 minutos e dependendo do caso, o aluno poderá ter aula personalizada, conforme explica o secretário de Esporte, Adriano Santos.

Aulas de natação oferecidas em academias particulares na Baixada Fluminense, custam em média R$120 por mês, valor esse que impossibilita muitos pais de matricularem seus filhos. “Recebo um salário mínimo e tenho muitos gastos com o meu filho, como fraldas e medicamentos. Não tenho condições de pagar”, conclui Cristiane, mãe de Willian Miranda, 17, que tem paralisia cerebral.

Para se inscrever é preciso se dirigir ao Centro de Atendimento ao Deficiente (CAD), que fica no anexo do Posto Vasco Barcelos, na Rua Bernardino de Melo, nº 1698, Centro, e levar identidade, CPF, comprovante de residência, uma foto 3x4 e declaração escolar. No local, será emitido um laudo médico, que deverá ser entregue no ato da matrícula. Em seguida, a documentação deve ser levada ao Centro Olímpico, que fica na Avenida Roberto Silveira, nº 1.725, próximo ao Aeroclube, nos dias e horários das aulas.

Além disso, a piscina do Centro Olímpico está aberta para aulas regulares de natação e hidroginástica para bebês até a terceira idade, e tem capacidade para atender 500 pessoas nas atividades aquáticas. O espaço funciona de segunda a sexta, nos turnos da manhã, tarde e noite.

Últimas de _legado_O Dia no Estado