Galinha bota ovo gigante e duplo no norte do estado

Charlotte, autora da ‘façanha’, vira atração. Veterinário diz que fenômeno é inédito

Por O Dia

Rio - A igrejinha que fica em frente à casa do artesão Jair Vieira, de 80 anos, em Atafona, São João da Barra, costuma receber centenas de fiéis durante a Páscoa. No entanto, desde a última Semana Santa, é outro fenômeno que vem despertando uma romaria de curiosos entre a vizinhança: Charllote, a galinha que põe ovos com mais que o dobro do tamanho normal. E com outro inteirinho dentro.

Acostumado a criar galinhas desde a infância, Jair não acreditou que aquele ovo poderia ser de uma das sete aves da raça inglesa Ródia, que ele comprou em janeiro. “Falei para a minha mulher: ela botou um ovo de Páscoa para mim”, divertiu-se. Segundo Jair, os ovos medem 19 centímetros de altura, por 12 de diâmetro. Ao abrir, outra surpresa: “Fiquei apavorado. Sacudi, e quando abri tinha um ovo dentro dele, com casca e gema.” O fenômeno do ovo duplo foi mostrado ontem pela ‘InterTV Planície’.

‘Parente’ de outras seis galinhas%2C Charlotte já botou oito superovosarquivo pessoal

Enquanto o animal botava os primeiros dos oito superovos que já foram expelidos até agora, uma notícia repercutia em todos os noticiários de TV na casa de Jair: nascia Charlotte Elizabeth Diana, filha do casal real britânico. Antes de desligar o aparelho, a ‘galinha dos ovos de ouro’ já tinha sido batizada. “Sendo de uma raça inglesa, fiz a homenagem”, afirma.

Desde então, a rotina pacata de ‘Seu Jair’ foi alterada pela nova estrela da Praia de Atafona. “Mais de 50 pessoas já vieram visitar, até gente do Rio”, contou. Artista plástico e criador de galinhas para “ajudar a passar o tempo”, ele nem pensa em vender os ovos gigantes. “Eu vou é comer! Com o que sobrar, penso em criar obras de arte usando gesso e as cascas. Todos estão convidados para ver”, avisou.

Embora nunca tenha escutado um caso parecido em sua carreira, o zootecnista formado pela USP (Universidade de São Paulo) Pierre Jimenez sugere uma hipótese. “Por algum motivo ela está retendo o ovo em seu aparelho. Ao invés de sair, volta, e depois é depositado com outra casca por cima”, explica. “Já vi ovos sem gema, com duas gemas, mas isso aí é novidade.”

Reportagem de Lucas Gayoso

Últimas de _legado_O Dia no Estado